Esposende reforça aposta no turismo de natureza

Esposende-observatório aves

Reforçar a aposta no turismo de natureza é o objectivo do investimento de 41.000€ que o município de Esposende vai fazer na criação de miradouros, percursos pedestres e pontos de observação de aves.

“Prosseguindo a forte aposta no turismo de natureza, o município de Esposende vai reforçar a rede de infra-estruturas de visitação, apostando em três eixos de valorização do território: criação de miradouros, pontos de observação de aves e valorização dos percursos pedestres”, anuncia a Câmara Municipal no seu site.

Para valorizar a sua oferta de turismo de natureza, Esposende vai criar uma Rede de Miradouros, constituída pelos montes de Arnelas (Gemeses), Faro (Palmeira), S. Lourenço (Vila Chã), Senhora da Paz (Marinhas), Picotinho (Mar) e da Senhora da Guia (Belinho com a qual pretende “proporcionar as condições para que o visitante conheça a paisagem e outros patrimónios”.

Esta Rede de Miradouros, explica o município, irá dar forma a uma rota “devidamente assinalada, que valorizará não só esses locais, como todo o património natural e paisagístico no concelho de Esposende”. Em alguns dos pontos, serão instaladas lunetas de observação e colocados painéis interpretativos da paisagem. Realizar-se-ão também visitas guiadas frequentes e será editada uma brochura promocional e informativa da rota.

O município vai igualmente instalar observatórios de aves e informação de suporte sobre esta temática em Esposende, junto à foz do rio Cávado, e em Antas, na foz do rio Neiva, os quais se vão juntar aos que já existem na Lagoa de Apúlia e em Belinho.

O terceiro eixo de valorização da natureza incide nos percursos pedestres da rede municipal, relevando o património arqueológico, arquitectónico, religioso e etnográfico.

O comunicado do município de Esposende sublinha que “a Rede Municipal de Percursos Pedestres, desenhada em mais de 140Km de trilhos, as ecovias do Litoral Norte (de Apúlia a Antas) e do Cávado (de Fão a Rio Tinto), são entrecortados por Rotas de Peregrinação, tais como o Caminho Português da Costa para Santiago de Compostela e o Caminho para S. Bento (Porta Aberta e Várzea)” num conjunto que proporciona “um contacto privilegiado com a natureza, conhecendo os locais ímpares mais aprazíveis e bucólicos, propiciadores de experiências únicas”.

A aposta no Turismo da Natureza, diz ainda o município, “ visa divulgar o concelho e a sua biodiversidade, estimulando a economia local através de uma oferta turística mais ampla, devidamente sinalizada” e está enquadrada nos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas.

O projecto de reforço do turismo de natureza implica um investimento de 41.000€, sendo comparticipada em 88,42%, no âmbito do Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE).