Estalagem do Guadiana em Alcoutim reabre este ano

O município de Alcoutim já assinou o contrato de concessão da Estalagem do Guadiana, que deverá reabrir ainda este ano, depois de estar encerrada cerca de dois anos.

A concessão desta unidade hoteleira foi entregue a uma empresa, cujo nome não foi revelado, sabendo-se apenas que tem experiência na área e explora duas unidades semelhantes em Mértola, que vai agora fazer obras de renovação e equipar o espaço, tendo em vista a sua abertura.

O turismo cinegético, bem como a Via Algarviana, são dois argumentos que Alcoutim tem para convencer empresas a investir neste sector, já que permitem atenuar a sazonalidade do concelho.

Este é o culminar de um longo processo, que começou com a rescisão com os anteriores concessionários, o grupo hoteleiro Fernando Barata.

Numa primeira fase, tentou-se a venda por 1,3 milhões de euros, mas a falta de interessados em comprar levou a autarquia a optar por novo arrendamento do espaço. Feito o concurso, escolhido o vencedor e validada a escolha pelos diferentes órgãos autárquicos, o contrato foi assinado e a unidade hoteleira deverá reabrir dentro de poucos meses.

As unidades de alojamento escasseiam na vila junto ao Rio Guadiana. Em termos de unidades hoteleiras tradicionais, Alcoutim está limitada à Pousada da Juventude, sendo a falta de oferta um impedimento à evolução do turismo local.

Construída nos anos 80 pela autarquia, a estalagem que assumiu o nome de Guadiana River Hotel, situa-se à beira do Guadiana, numa posição privilegiada junto ao maior rio do Sul do país, com a margem espanhola à sua frente.

Com uma área total de 7.920,00 m2, o estabelecimento hoteleiro é composto por 32 quartos duplos divididos por dois pisos, duas piscinas, campo de ténis, terraços e áreas verdes.