Falência da Germania Airlines subtrai 106 mil lugares para a Madeira

A Madeira vai perder 106 mil lugares anuais do mercado alemão com o anunciado pedido de falência, esta terça-feira, da transportadora Germania Airlines.

“Naturalmente que não é uma boa notícia”, reagiu de imediato a secretária regional do Turismo, Paula Cabaço, em declarações à Lusa, “porque tem impactos no curto prazo”, já que a companhia fazia sete voos semanais para a Madeira no período de Inverno.

“De repente, o destino perde 106 mil lugares de avião” para todo o ano, especificou, sendo o mercado alemão o segundo na vinda de turistas.

Paula Cabaço crê, no entanto, que, a médio prazo e em conjunto com a ANA – Aeroportos de Portugal, o trabalho de captação de novas rotas vai intensificar-se “para substituir esta perda de lugares por outra companhia aérea”.

O presidente do Governo da Madeira, Miguel Albuquerque, também citado pela Lusa disse que a região já está a diligenciar no sentido de recuperar os voos perdidos com origem na Alemanha, na sequência da falência da companhia Germania Airlines.

A governante recordou que este trabalho já tinha sido feito quando, em 2017, a companhia área Monarch ou a Air Berlim também anunciaram a falência.

A transportadora aérea alemã Germania Airlines entrou esta terça-feira com um pedido de falência e anunciou o cancelamento de todos os seus voos.

A companhia aérea de baixo custo, com sede em Berlim, com 37 aeronaves, servia igualmente destinos turísticos ao redor do Mediterrâneo e do Médio Oriente, transportando mais de quatro milhões de passageiros por ano.

“Infelizmente fomos incapazes de conseguir financiamento para cobrir uma necessidade de liquidez de curto prazo”, pode ler-se num comunicado do director executivo da companhia, Karsten Balke, no site da empresa, que adianta que estes problemas surgiram principalmente “devido a eventos imprevisíveis, como aumentos maciços nos preços dos combustíveis no Verão passado e o simultâneo enfraquecimento do euro em relação ao dólar, atrasos consideráveis na entrada de aeronaves na frota”.

Quanto aos passageiros afectados pela suspensão das operações de voo, a Germania Airlines assumiu que os que reservaram os voos como parte de um pacote de férias podem entrar em contacto com o operador turístico para organizar o transporte substituto, “para os passageiros que reservaram directamente com a Germania, infelizmente não há direito a substituir o transporte”.