Foi encerrada a linha de apoio a agências de viagens e empresas de animação turística

A Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua anunciou que se encontram esgotadas mais duas linhas de crédito criadas para ajudar as empresas a enfrentar a crise provocada pela Covid-19, a de apoio à actividade económica e a de apoio a agências de viagens, animação turística, organizadores de eventos e similares.

As linhas de crédito destinadas a apoiar as empresas afectadas pela pandemia estão quase esgotadas, com a SPGM – Sociedade de Investimento, entidade que coordena o Sistema Português de Garantia Mútua e que gere estas linhas de apoio, a registar 43 mil candidaturas, a grande maioria de micro e pequenas empresas (83%). Do total de candidaturas, foram aprovadas 80%, num montante de 4,3 mil milhões de euros.

Com um valor total disponível de 6,2 mil milhões de euros, encontram-se já esgotadas duas das quatro linhas, sobrando as destinadas ao turismo e à restauração. De relembrar que as linhas de crédito garantido pelo Estado têm a dotação de 4,5 mil milhões de euros para a destinada a todos os sectores de actividade económica, 900 milhões de euros para o turismo (empreendimentos e alojamentos), 200 milhões para as agências de viagens e empresas de animação turística, e 600 milhões para a restauração.

Sendo que as operações até agora aprovadas correspondem a perto de 70% da totalidade da dotação disponível, a SPGM tomou a decisão de “suspender temporariamente a entrada de candidaturas nas sociedades de garantia mútua”, pois “duas linhas específicas já atingiram, com as operações entradas, o montante máximo protocolarmente definido para as mesmas”. As outras duas linhas, para empreendimentos e alojamentos turístico e para a restauração, “continuam disponíveis e a aceitar candidaturas”.

No comunicado, publicado a 6 de Maio, a SPGM garantia também que “prosseguindo a sua missão de fazer chegar este apoio o mais rapidamente possível aos operadores económicos, a fim de preservar a sua capacidade produtiva e assegurar a manutenção do emprego, o Governo e o Sistema Português de Garantia Mútua continua a trabalhar com as Instituições de Crédito no sentido de abreviar e simplificar procedimentos”.