Governo e Visabeira fecham acordo para hotel no Mosteiro de Alcobaça

O grupo Visabeira vai investir 15 milhões de euros num hotel de charme no Mosteiro de Alcobaça. O contrato de concessão do Claustro do Rachadouro do Mosteiro de Alcobaça, válido por 50 anos, foi selado esta terça-feira entre o grupo e a Direcção Geral do Património Cultural, na presença do ministro da Cultura Luís Filipe de Castro Mendes.

A nova unidade, com abertura prevista para 2019, vai ser um hotel de cinco estrelas, com três pisos, 81 quartos e nove suites, SPA, ginásio, para além de espaços para organização de congressos e eventos. A intervenção estará a cargo do arquitecto Eduardo Souto Moura.

O ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, defendeu a mobilização dos privados e do poder local na criação de parcerias para a recuperação do património e para que o desenvolvimento cultural seja um motor da economia. Segundo o ministro, a recuperação do claustro do Mosteiro de Alcobaça por parte do Grupo Visabeira é o exemplo de um tipo de parceria que qualifica de “estratégica e verdadeiramente modelar”.

Por seu turno, o presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, Paulo Inácio, garantiu que a autarquia está empenhada em resolver todas as questões urbanísticas na envolvente do hotel, realçando que o monumento (Património da Humanidade) “pode e deve ser uma âncora de desenvolvimento, um pólo gerador de riqueza e de emprego, ao serviço da comunidade”.

Depois de vencer um concurso público internacional, a Visabeira propõe-se fazer ali um investimento na ordem dos 15 milhões de euros, pagando ao Estado uma renda anual de apenas cinco mil euros, mais IVA.