Grupo Pestana apreensivo com obras no Porto de Setúbal

O que preocupa o Pestana Hotel Group, segundo o comunicado emitido pelo Grupo, são as consequências ambientais sobre o Estuário do Sado e a Península de Tróia e, por essa via, um possível impacto negativo sobre o turismo.

O Pestana Hotel Group emitiu sexta-feira um comunicado em que manifesta a sua “profunda preocupação” quanto às consequências ambientais que as obras de alargamento e aprofundamento do canal marítimo de acesso ao Porto de Setúbal, poderão ter sobre o Estuário do Sado e a Península de Tróia.

Em comunicado, o Grupo aponta o dedo ao Estudo de Impacto Ambiental que sustenta este projecto e que, na sua opinião, “valoriza mais os aspectos económicos e o interesse industrial, relegando para segundo plano consequências como o depósito de sedimentos frente a zonas balneares onde se inserem diversos complexos turísticos, o desassoreamento das praias, a afetação das colónias de golfinhos e a destruição de fundos e reservas de pesca”.

Por outro lado, continua o texto, existe a “possibilidade de contaminação dos locais intervencionados por dragados contaminados o que, certamente, terá fortes consequências ambientais e económicas para a actividade turística, não só em Setúbal, como em Tróia e na Arrábida”.

José Roquette, Chief Development Officer do Pestana Hotel Group, a firma a propósito que “não se percebe como um projecto com este impacto ambiental está a avançar, tendo em conta que, até à data, todos os projectos turísticos desenvolvidos na região foram submetidos a rigorosas restrições ambientais, em função da sua inserção ou proximidade com a Reserva Ecológica ou Rede Natura 2000”. Neste sentido, afirma, “foram impostas, e aceites, grandes limitações no que respeita ao impacto nesta região tão sensível; isto apesar de, obviamente, não serem geradores de quaisquer factores de poluição”.

O mesmo responsável acrescenta ainda que é “incompreensível, e de enorme irresponsabilidade, que se ponha em risco todo o ecossistema do estuário do Sado e da península de Tróia”.