Grupo Pestana encerra Convento do Carmo na Bahia

De acordo com o comunicado difundido pela imprensa brasileira, o Pestana Hotel Group justifica o encerramento do Pestana Convento do Carmo, em Salvador da Bahia, com a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Situado no centro histórico da cidade de Salvador no estado brasileiro da Bahia, o Convento do Carmo estava sob gestão do Grupo Pestana há mais de 15 anos, tendo encerrado no passado dia 15 de Abril.

“Perante a crise mundial desencadeada pelo novo Coronavirus, é com tristeza que tomamos a difícil decisão de encerrar as operações do Pestana Convento do Carmo”, anunciava o Grupo em comunicado enviado à imprensa brasileira a 16 de Abril, onde explicava que a unidade tinha cessado operações no dia anterior, ou seja, a 15 de Abril.

“Desembarcámos em Salvador há mais de 15 anos, com a missão de contribuir para o crescimento, desenvolvimento e promoção da Bahia, tanto no mercado nacional como no internacional. Sempre nos consideramos parte desse Brasil, tendo tido sempre o apoio, compreensão por parte do povo soteropolitano que nos abraçou desde o primeiro dia e que com certeza manterá laços de afinidade, empatia e união connosco”, lê-se no comunicado.

No mesmo texto, o Grupo deixa um agradecimento “a todos os colaboradores” bem como à Ordem dos Carmelitas sem a qual “este trajecto nunca teria sido possível”, frisando que esta “forte parceria” contribuiu “de forma enriquecedora, pujante e saudável para que construíssemos juntos um produto altamente diferenciado, classificado como o primeiro hotel histórico do Brasil e que tanto foi elogiado pelos meios artísticos, empresariais, governamentais e turísticos”.

O Grupo estendeu o seu “grande obrigado” ao povo da Bahia, às entidades oficiais e às agências de viagens e operadores turísticos “ por toda a alegria, afecto, amizade e parceria que construímos durante todo este tempo e que tanto nos deixará saudades”.