HiFly e Fundação Mirpuri debatem utilização do plástico no sector da aviação

A HiFly e a Fundação Mirpuri, em parceria com a IATA – Associação Internacional de Transportes Aéreos reuniram no passado dia 16 de Maio, no “Sustainable Cabin Forum” 2019, em Sintra, diversos stakeholders para debater sobre a utilização dos plásticos de uso único e os resíduos resultantes do catering na aviação.

Com o patrocínio do Comissário Europeu para o Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas, Karmenu Vella, companhias aéreas, operadoras de aeroportos, agentes de catering e principais reguladores estiveram juntos a discutir ideias, pontos de vista e experiências, tendo como contexto os desafios da indústria versus a sustentabilidade e o futuro, tudo isto sempre dentro de um quadro regulador, que está agora mais atento ao problema em encontrar soluções.

“Todo o plástico que deitamos no Oceano volta para nós em peso através da cadeia alimentar, gerando doenças”, esclarece Paulo Mirpuri, presidente da Fundação Mirpuri e da HiFly. É por isso que “as companhias aéreas devem antecipar-se às medidas que vierem a ser estudadas e adoptadas, eliminando voluntariamente o plástico de uso único no prazo de cinco anos”.

Uma das respostas poderá vir a ser encontrada em breve através de uma investigação que está a ser feita pela Universidade do Minho, em parceria com a Fundação Mirpuri e a HiFly, e que envolve o desenvolvimento de um material substituto do plástico, eco-friendly e que possa ser usado de uma forma que não seja prejudicial ao meio ambiente.

“Este projecto decorre há um ano e estou muito satisfeito com os resultados”, sublinha o mesmo responsável, acrescentando que o objectivo “é ter no final – talvez já deste ano – uma solução que possamos partilhar com o mundo, uma vez que não queremos fazer negócio com esta descoberta”.

Recorde-se que a HiFly se tornou a primeira transportadora global a operar serviços de passageiros sem o uso de plásticos a bordo de uma série de voos intercontinentais durante o período natalício de 2018.

A indústria da aviação dá hoje emprego a 65,5 milhões de trabalhadores, é responsável pelo transporte anual de 4,4 mil milhões de passageiros em 41,9 milhões de voos comerciais e 45 mil rotas, e a quem são servidas 3.964 refeições a bordo a cada 60 segundos. Estes são números actuais da IATA que fazem levantar uma questão: Para onde vai todo este desperdício gerado a bordo? Dezassete por cento do desperdício consumido em cabine é plástico de uso único (garrafas de água e copos) e 5,7 milhões de toneladas de desperdício são produzidas todos os anos em cabine.