Grand House é o primeiro cinco estrelas de Vila Real de Santo António

Após três anos de obras de requalificação, o histórico Hotel Guadiana, em Vila Real de Santo António (VRSA), reabriu portas no passado dia 7 de Fevereiro, dando lugar ao boutique hotel Grand House , o primeiro cinco estrelas do concelho, num investimento de dois milhões de euros.

  

A intervenção, conforme noticia o município no seu portal oficial, contemplou a renovação exterior e interior do edifício, adequando-o às características de uma unidade de cinco estrelas, e pôs fim ao cenário de degradação deste imóvel que é um cartão-de-visita da frente ribeirinha da cidade e uma referência em termos arquitectónicos. O novo hotel traz de volta o charme e a tradição daquele que foi uma das primeiras unidades hoteleiras do Algarve, inaugurada na década de 20.

Já distinguido pela Forbes como um dos “Small & Chic: 10 Tiny Luxury Hotels Opening in 2019”, o Grand House aposta na qualidade e diferenciação do serviço, para imprimir novo fôlego à oferta hoteleira da região.

Sob o mote “Ain’t Life Grand”, o Grand House está focado em assegurar aos seus hóspedes uma experiência inteiramente personalizada, com base nos gostos de cada um. “Trabalhamos para que a experiência de cada pessoa seja única e memorável”, garante a directora geral do Grand House, Marita Barth.

A operação de reabilitação foi levada a cabo pela Câmara Municipal de Vila Real de Santo António e pela empresa municipal VRSA SGU, representando um custo de dois milhões de euros. A obra garantiu a manutenção da fachada e dos principais elementos decorativos do prédio de estilo afrancesado, projectado pelo arquitecto Ernesto Korrodi, cuja construção data-se entre 1918 e 1921.

A nova unidade oferece 31 quartos, sendo 15 duplos, três suites júnior e 13 quartos individuais, todos com os padrões de conforto e exigência actuais.

Mas o Grand House é também composto por outros edifícios arquitectónicos que o distinguem da oferta existente. A Grand Gallery, a 50 metros do hotel, é a antiga Alfândega da cidade, mandada edificar pelo Marquês de Pombal, tal como o centro de Vila Real de Santo António. No Outono deste ano, o edifício histórico dará lugar a uma ‘concept store’ com decoração do século XIX, uma sala para workshops e exposições, um café e uma loja com artigos de decoração de peças de arte local, além de um “members club”, local de tertúlias e conversas literárias sobre viagens. Outro dos pontos fortes do Grand House é o Grand Beach Club, a 2 km do hotel, na Ponta da Areia. Inaugurado em Julho de 2018, tem concertos e eventos próprios, e uma piscina infinita.

Todo este complexo será gerido pelo grupo Grand House Algarve, mediante um contrato de exploração em que a entidade empresarial pagará uma renda mensal à autarquia.

O projecto, segundo ainda a Câmara Municipal, cumpre na íntegra as orientações do Plano de Pormenor de Salvaguarda do Núcleo Pombalino de Vila Real de Santo António, bem como as medidas estabelecidas na Área de Reabilitação Urbana (ARU) do Centro Histórico de VRSA.

Paralelamente à recuperação do antigo Hotel Guadiana, é intenção da Câmara Municipal de VRSA transformar o Centro Histórico numa referência em termos turísticos, estando também em curso um projecto, desenvolvido em paralelo com o Grupo Pestana, para converter um conjunto de antigos imóveis, propriedade da Câmara Municipal de VRSA, em unidades de alojamento.