Hotel Palácio do Governador: “Terraço” de charme em Belém

Abre portas dia 20 e é o primeiro hotel construído sob a insígnia do Grupo NAU Hotels & Resorts. Em Belém, de “olhos” na Torre e no Tejo, o Palácio do Governador é um hotel boutique de charme que resulta da recuperação de um edifício quinhentista e pretende fazer com que os seus hóspedes “sintam Portugal”.

Resultante de um investimento de 5,5 milhões de euros, o Palácio do Governador abre portas no próximo dia 20 e terá “casa cheia” até Novembro, com a totalidade dos quartos ocupados por grupos de jornalistas que vêm à apresentação de um novo automóvel. A partir daí ficará em soft opening até ao início de 2016, quando será oficialmente inaugurado.

O nome do hotel vem do edifício onde está instalado, um antigo palácio que serviu de morada ao Governador da Torre de Belém. De origem quinhentista e tendo por base o estilo barroco, o edifício foi completamente restaurado, guardadas as abóbadas, algumas paredes em pedra que resistiram e estão agora à vista de todos, azulejos também restaurados e de traça bem portuguesa, que formam uma linha condutora ao longo de todo o hotel. Aliás, toda a decoração teve como base o traço da Companhia das Índias. À vista, não apenas dos hóspedes mas também dos passantes estão igualmente as cetárias romanas, descobertas nas escavações.

“Queremos ser um hotel onde se sente Portugal”, afirmou o presidente da NAU Hotels & Resorts, Pedro de Almeida, com o CEO do grupo, Mário Ferreira, a destacar o facto de o Palácio do Governador reflectir aquilo que queremos oferecer aos nossos clientes”.

Quando abrir portas, o hotel vai oferecer “60 quartos de 11 tipologias mas na verdade não há quartos iguais”, disse Mário Ferreira, que destacou as suites do governador, da princesa e do infante. A primeira é o “ex-libris” do hotel, com os seus 130 m2 e cama King Size com dossel “plantada” a meio do quarto.

Outro ex-libris será o restaurante Ânfora, a cargo do chef André Lança Cordeiro, profissional que já trabalhou em restaurantes parisienses com estralas Michelin e que ali irá apresentar cozinha de autor.

Um Spa de 1.200m2 que tem como paredes os muros romanos dos séculos I a V encontrados durante a construção do edifício, uma piscina interior de 25m com jatos dinâmicos e cromoterapia, sauna, banho turco, salas de massagens e ginásio a que se juntam duas piscinas exteriores e espelho de água, integram a oferta do hotel projectado pelos arquitectos Jorge Cruz Pinto e Maria Cristina Mantas, e decorado por Nini Andrade Silva.

*Leia mais na próxima edição da Turisver