Hotel Vila Park promove “Passaporte Ambiental”

“Ajude-nos a preservar o meio ambiente” é o desafio que o Hotel Vila Park, unidade de 4 estrelas localizada em Vila Nova de Santo André (Santiago do Cacém), coloca aos seus hóspedes através do seu “Passaporte Ambiental”. Agora, o hotel pretende dar a conhecer o seu “passaporte” ao grande público.

No Vila Park a preocupação com o meio ambiente não é nova, a aposta na preservação ambiental foi um compromisso assumido desde 2007, como recorda o director do hotel, Pedro Marques da Costa, em carta enviada à nossa redacção.

Detentor de um vasto número certificações, galardões e prémios ambientais, o Vila Park dá cartas na sustentabilidade ambiental, tendo sido em Fevereiro de 2007 o primeiro hotel do Alentejo com a certificação ISO 14001. Pedro Marques da Costa sublinha que o hotel, que em 2007 integrou o grupo de 12 hotéis com o galardão Green Key, e em Janeiro de 2009, foi reconhecido pela TÜV como Eco-Hotel, “obedece aos requisitos da Norma ISO 14001:2015”.

“Garantir a gestão adequada dos recursos naturais e resíduos”; “prevenir a poluição”; “cumprir a legislação, regulamentação e outros requisitos aplicáveis”, integram o compromisso assumido pelo hotel de “minimizar os impactos ambientais, promovendo a melhoria contínua dos processos”

Sensibilização e formação dos colaboradores e a divulgação da sua política ambiental “junto de todos os parceiros de negócio e ao público em geral”, são outros dos compromissos assumidos pela unidade que dispõe de um “Passaporte ambiental” entregue a todos os hóspedes no momento do check-in, com informações sobre todas as práticas e projectos que o hotel desenvolve nesta área.

Através deste documento que o hotel agora divulgo junto de todos os parceiros e público em geral, os hóspedes são informados dos vários projectos de nível ambiental em que o Vila Park está envolvido e são convidados a associarem-se às suas boas práticas ambientais. E há várias em que os hóspedes podem, e devem, colaborar, nomeadamente a poupança de água e de energia eléctrica ou a reciclagem de lixos.

Neste “passaporte” há ainda um alerta importante: “O Homem consome recursos naturais a uma velocidade 20% superior à capacidade da Terra de renová-los”.