Hoteleiros esperam aumento de receitas na Páscoa

Com base num inquérito realizado junto dos seus associados, a AHP avança as perspectivas dos hoteleiros para o período da Páscoa. As estimativas diferem consoante a região mas em termos globais os hoteleiros acreditam que as receitas vão subir face ao ano passado, o que não deverá acontecer com a ocupação.

Para o período das férias escolares, que acontecem de 8 a 22 de Abril, 45% dos hoteleiros inquiridos pela Associação da Hotelaria de Portugal, indicaram que a taxa de ocupação será igual à Páscoa de 2018. No entanto, o ARR (preço médio por quarto ocupado) e o RevPar (preço médio por quarto disponível) serão superiores para 57% e 60% dos inquiridos, respectivamente. Já as receitas totais e de alojamento serão melhores para 61% dos inquiridos.

A região mais optimista relativamente à taxa de ocupação e à receita média por quarto ocupado é os Açores, onde 80% dos inquiridos apontam para uma melhoria em ambos os indicadores. No pólo oposto situa-se a Madeira, onde apenas 17% e 25%, respectivamente, indicaram que será melhor.

Quanto ao RevPar, os mais optimistas são os hoteleiros do Norte e dos Açores, com 78% e 70% dos inquiridos, respectivamente, a perspectivarem uma melhoria face ao mesmo período do ano anterior.

Quanto a mercados, Portugal, para 84% dos inquiridos, e Espanha, para 67%, são os principais emissores durante este período, com um peso de 23% e 21%, respectivamente.

Para o fim-de-semana da Páscoa, de 18 a 21 de Abril, as expectativas são mais optimistas em todos os indicadores, com Açores e Centro a voltarem a ser as regiões onde os inquiridos têm melhores perspectivas no que toca à taxa de ocupação. No que toca ao ARR e ao RevPar, as expectativas mais optimistas são apontadas pelos Açores e pelo Norte.

“À excepção da Madeira, todas as NUTS II indicam que este fim-de-semana será melhor do que o período homólogo do ano anterior em todos os indicadores, excepto TO e Estada Média”, sublinha a AHP.