IATA alerta: Vai faltar mão-de-obra na indústria da aviação

A conclusão geral de uma pesquisa levada a cabo pela IATA revela que o emprego irá disparar na aviação nos próximos anos, dadas as previsões de crescimento do transporte aéreo.

Estima-se que dentro de duas décadas a indústria aérea transportará 7,8 mil milhões de passageiros em comparação com os 4 mil milhões actualmente.

Quase 50% dos responsáveis pela área de Recursos Humanos do sector da aviação – companhias aéreas, aeroportos e serviços terrestres – relataram os principais desafios na aquisição, treino e retenção de talentos, tanto pela falta de disponibilidade de candidatos com os níveis de qualificação apropriados, como em alguns casos pela procura salarial dos novos candidatos.

A pesquisa não abordou a previsão de escassez de pilotos e técnicos de manutenção, mas os requisitos da indústria em pessoal de voo.

Mais de 73% dos entrevistados esperam que as principais áreas de crescimento de empregos sejam operações no solo, atendimento ao cliente e tripulação de cabine. Apenas 28% dos entrevistados relataram que a formação actual é eficaz e muitas organizações procuram complementar a sua formação interna com parceiros externos para melhorar a eficácia. Por outro lado, questões ligadas a habilidades de segurança e atendimento ao cliente são as prioridades para a contratação de trabalhadores em todo o sector. Embora a tecnologia esteja efectivamente a alterar a função de atendimento ao cliente, ela não está a substituí-la.