IATA confirma tendência de desaceleração da procura internacional do tráfego aéreo

Depois do vigoroso início de ano, o crescimento da procura do transporte aéreo tem vindo a desacelerar, voltando aos níveis anteriores. Segundo dados da IATA correspondentes a Maio, o crescimento do tráfego aéreo internacional, medido em passageiros/km transportados (PTK), reduziu-se pelo terceiro mês consecutivo, atingindo os 4,3% contra o aumento de 5% registado em Abril.

A IATA atribui este facto a uma combinação de factores, entre os quais os atentados terroristas na Europa, como o do aeroporto de Bruxelas, e em Istambul, e as consequências económicas do Brexit, juntamente com o frágil estado da economia mundial.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo anunciou que os resultados de tráfego mundial de passageiros de Maio mostram que a procura global aumentou 4,6% em comparação com o mesmo mês de 2015, enquanto a capacidade oferecida havia sido aumentada em 5,5%, pelo que a ocupação aérea diminuiu 0,7 pontos percentuais, para 78,7%.

Não obstante esta desaceleração da procura, as companhias aéreas em todas as regiões do globo registaram crescimentos. A capacidade total subiu 6,1%, fazendo com que a ocupação caísse 1,3 pontos percentuais, para 77,1%.

A procura de Maio das transportadoras aéreas europeias subiu apenas 2,1% face ao mesmo período do ano anterior. A capacidade foi aumentada em 3,5%, o que se traduziu numa caída da ocupação em 1,1 pontos percentuais, para atingir os 80,6, nível que, apesar da descida, foi a mais alta entre as regiões.

De acordo com o director-geral da IATA, Tony Tiler, o choque da votação a favor do Brexit espalhou-se pelo mundo e as consequências afectam a indústria de transporte aéreo, tanto na perspectiva económica como regulatória, esperando que nas negociações entre a União Europeia e o Reino Unido não haja um retrocesso na conectividade da aviação.