IATA: aumento do tráfego abranda em Setembro

De acordo com os dados da IATA, o tráfego global de passageiros em Setembro registou um aumento de 5,5%, face ao mesmo mês de 2017, num desacelerar do crescimento relativamente aos +6,4% verificados em Agosto.

Alexandre de Juniac, CEO da IATA, avança que “embora o crescimento do tráfego em Setembro esteja em linha com a média a longo prazo, representa também uma moderação em relação aos últimos meses”. Para o CEO da IATA este desacelerar deve-se ao contraponto do aumento da procura por tarifas baixas frente aos crescentes custos para as companhias aéreas, particularmente a nível de combustível, mas também à incerteza de decisões políticas comerciais.

Em Setembro, a capacidade cresceu em 5,8%, enquanto a taxa de ocupação caiu, pela primeira vez em oito meses, em 0,3 pontos percentuais, para os 81,4%. A associação afere que o impacto dos tufões e furacões que decorreram em Setembro tenha resultado numa quebra entre 0,1 e 0,2 pontos percentuais no tráfego aéreo esperado. Na Europa, as companhias aéreas registaram um aumento do tráfego em 5,2%, em linha com o crescimento de Agosto de 5,4%. A capacidade subiu em 4,9% e a taxa de ocupação cresceu 0,2 pontos percentuais, para 87%, a maior em qualquer das regiões.

“No mês passado, a IATA divulgou a sua última previsão que mostra que as viagens aéreas podem duplicar para os 8,2 milhões de passageiros em 2037”, atesta Alexandre de Juniac, para continuar: “com o crescimento surge a oportunidade de contribuir ainda mais para o bem-estar global”, mas “os governos precisam de estar preparados para investir em infra-estruturas aeroportuárias que possam sustentar o aumento da procura”. “Para crescer é necessário que os governos cumpram a sua parte, ao fornecer capacidade aeroportuária e de espaço aéreo, a um preço acessível e com uma qualidade em linha com as necessidades técnicas e comerciais”, conclui.