IATA: Tráfego de passageiros aumenta 5,8% em Outubro

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) anunciou os resultados globais de tráfego de passageiros em Outubro, mostrando que a procura medida em RPK subiu 5,8% em relação ao mesmo mês do ano passado. A capacidade cresceu 6,3% e o load factor caiu 0,4 pp para 80,1%.

O desempenho de Outubro teve um abrandamento em relação à taxa de crescimento homóloga de 7,1% registada em Setembro, mas ainda está em linha com as médias de 10 anos. O crescimento das viagens domésticas e internacionais foi em grande parte equilibrado.

A procura doméstica subiu 5,6% em Outubro em relação ao mesmo mês do ano anterior, o que foi acompanhado por um aumento semelhante na capacidade. Continuou a haver grande variação nos resultados de cada país, com a Índia e a China com taxas de crescimento de dois dígitos, enquanto outros mercados experimentaram um crescimento muito mais lento e o Brasil continuou em declínio.

Quanto aos mercados internacionais, a procura subiu 5,9% e as linhas aéreas em todas as regiões registaram crescimento. A capacidade total aumentou mais rapidamente, subindo 6,6%, fazendo com que o load factor deslizasse 0,6 pp para 78,6%.

Na Europa, a procura cresceu 5,7%, a capacidade aumentou 6,2% e o load factor caiu 0,4 pp para 83,2%, demonstrando que a procura internacional por transportadores europeus está a retomar a normalidade após a interrupção causada pelo terrorismo e instabilidade política no início deste ano.

O tráfego das companhias aéreas da Ásia-Pacífico aumentou 7% em Outubro em relação ao mesmo período do ano anterior, em linha com o aumento da capacidade, enquanto a taxa de ocupação se manteve praticamente inalterada, com 76,9%. No Médio Oriente verificou-se também um aumento de 7%, um ritmo mais lento para a região em 18 meses. O tráfego das companhias aéreas norte-americanas subiu 2,4% em Outubro em relação ao mesmo período do ano anterior, e a capacidade aumentou 4,9%, com o load factor a cair 1,9 pp para 80,1%.

Na América Latina o aumento de tráfego foi de 7,1% e em África o crescimento desacelerou para 5,8%, quando em Setembro o aumento tinha siso de 9,1%. As condições económicas em algumas partes do continente continuam a ser um desafio.