Idanha-a-Nova lança novo projecto de marketing

“Passport Idanha-a-Nova” é o novo projecto de marketing do concelho de Idanha. A implementar em Janeiro, o projecto foi anunciado esta quarta-feira, em Lisboa, pelo presidente da Câmara, Armindo Jacinto.

O presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, que falava no âmbito da apresentação do projecto do Hotel do Templo, explicou que com o lançamento deste “passaporte”, e à semelhança do que se passa no estrangeiro, todos os equipamentos turísticos e culturais passarão, a partir de Janeiro do próximo ano, a ter entradas pagas.

O “Passport Idanha-a-Nova” vai custar 10€, será valido por um ano a partir da sua aquisição e permitirá o acesso a seis locais de Idanha, Monsanto e Proença-a-Nova, permitindo, nas palavras de Armindo Jacinto, “descobrir, através de experiências inéditas, todo um território”.

Incluídas no “passaporte” vão estar as visitas ao Centro Cultural Raiano de Idanha-a-Nova, ao Núcleo dos Lagares de Azeite de Proença-a-Velha, Lagar das Varas, Centro Epigráfico e Sé Catedral em Idanha-a-Velha, ao Castelo de Monsanto, em Monsanto, ao Parque Icnológico e Museu S. Pedro de Alcântara em Penha Garcia e, por último, ao Centro de Interpretação da Bio Diversidade em Segura.

Armindo Jacinto deixou ainda expresso o desejo de “transformar em turistas” os 250 mil visitantes que Idanha anualmente recebe, através, nomeadamente, do vasto calendário de iniciativas que o concelho vem realizando anualmente, tanto em termos culturais como de natureza.

A propósito recordou que Idanha, que já é Cidade Criativa da UNESCO da Música, quer também ser “Capital da Sustentabilidade e da Criatividade”.