INE: Actividade turística manteve-se quase parada em Maio

Quebras homólogas de 94% no número de hóspedes e de 95% nas dormidas durante o mês de Maio, com as dormidas de não residentes a apresentarem um decréscimo superior a 98%, levam o Instituto Nacional de Estatística a concluir que a “actividade turística manteve interrupção quase total em Maio”. Os dados foram revelados esta terça-feira na “estimativa rápida” do INE relativa ao quinto mês do ano da pandemia.

Em Maio, os resultados da actividade turística em Portugal continuaram a ser fortemente impactados pela pandemia, com o turismo a continuar a sofrer uma paragem quase total, com decréscimos homólogos nunca vistos e, segundo o INE, com “cerca de 69,7% dos estabelecimentos de alojamento turístico encerrados ou a não registarem movimento de hóspedes”.

No quinto mês de 2020, ano da pandemia, o sector do alojamento turístico deverá ter registado 157,8 mil hóspedes e 324,3 mil dormidas, o que corresponde a variações de -93,9% e -95,0%, respectivamente (-97,4% e -97,0% em Abril, pela mesma ordem).

As dormidas de residentes, que representaram 72% do total, terão diminuído 85,6% (-93,0% em Abril) atingindo 233,5 mil, representando 72,0% do total das dormidas, enquanto as de não residentes terão decrescido 98,1% (-98,6% no mês anterior), situando-se em 90,8 mil.

A estimativa divulgada pelo INE avança que o número de hóspedes residentes terá andado em torno dos 123,2 mil, com um decréscimo de 86,2% face a Maio do ano passado (-94,9% em Abril) e os hóspedes não residentes terão sido 34,6 mil, número que reflecte um recuo de 98,0% (-99,0% no mês anterior).

Quanto aos principais mercados emissores, todos registaram decréscimos acima dos 90%, com o Reino Unido e a Irlanda a protagonizarem os maiores recuos: -99,3%