INE: Brasil e China foram os mercados de maior crescimento em Julho

Num mês em que a actividade turística teve um crescimento mais brando e as dormidas de residentes e não residentes registaram uma evolução semelhante (+2,7 e +2,0%, respectivamente), o grande destaque vai para os mercados do Brasil e da China que registaram aumentos de 18,3% e 15,6%, respectivamente. No acumulado do ano os Estados Unidos levam a dianteira com um aumento de 19%.

Hóspedes e dormidas, tanto de residentes em Portugal como de residentes no estrangeiro, registaram em Julho um crescimento mais brando que nos meses anteriores. Assim, de acordo com os dados publicados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística, o alojamento turístico registou 2,8 milhões de hóspedes (aumento homólogo de 5,4%), que proporcionaram 8,2 milhões de dormidas, (+2,2%), com as dormidas de residentes a subirem 2,7% para cerca de 2,5 milhões e as de não residentes a aumentarem 2,0% para perto de 5,66 milhões.

Neste caso, é de salientar que Brasil e Espanha contribuíram com cerca de 90% para o acréscimo no número de dormidas de não residentes, com os maiores crescimentos homólogos a pertencerem aos mercados do Brasil (+18,3%) e China (+15,6%). O INE salienta ainda o facto de em Julho ter sido contabilizado um acréscimo de 111,6 mil dormidas de hóspedes provenientes de países estrangeiros, comparativamente com igual mês do ano anterior, para o que contribuíram, principalmente, os mercados do do Brasil (46,3%), Espanha (43,5%), Irlanda (27,6%) e EUA (26,8%).

O mercado britânico, que continua a ser o que mais pesa (19,3% do total das dormidas de não residentes) registou um ligeiro aumento em Julho (+0,7%), sendo no entanto de notar que desde o início do ano, este mercado aumentou 1,5%. As dormidas de espanhóis (12,1% do total) cresceram 7,6% em Julho e 8,4% desde Janeiro, enquanto os mercados brasileiro e norte-americano (quotas de 5,9% e 5,7%, respectivamente) aumentaram 18,3% e 10,3% em Julho, pela mesma ordem, tendo registado aumentos de 13,0% e 19,0% em termos acumulados no ano. São também de salientar os aumentos verificados nos mercados chinês (+15,6%) e irlandês (+11,7%).

No pólo oposto, o mercado alemão (10,0% do total), tem vindo a apresentar diminuições desde Fevereiro, tendo registado uma redução de 3,8% em Julho, e de 6,2% desde o início do ano. Também as dormidas de hóspedes franceses (8,4% do total) recuaram ligeiramente em Julho (-0,6%), apresentando uma redução de 2,6% no acumulado do ano.

No que toca ao acumulado de Janeiro a Julho, as dormidas aumentaram 4,2%, para 38,7 milhões com contributos positivos quer dos residentes (+7,6% para cerca de 11,3 milhões), quer dos não residentes (+2,9% para mais de 27,4 milhões).

Mesmo a ritmo menos elevado, todas as regiões registaram aumentos das dormidas, com excepção da Madeira (-4,1%). O Norte destacou-se com um crescimento de 11,8%, salientando-se também os acréscimos registados no Alentejo (+3,3%), AM Lisboa e Açores (+2,3% em ambas as regiões). O Algarve concentrou 36,8% das dormidas registadas no país neste mês, seguindo-se a AM Lisboa (quota de 22,6%). Desde o início do ano, o realce vai para o Norte (+10,3%) e o Alentejo (+9,5%), com a Madeira a ser, também aqui, a única região que apresenta quebras no número de dormidas (-3,4%)

A cair continua a estada média que está agora nas 2,89 noites (-3% em termos homólogos) com a taxa líquida de ocupação a recuar 1,7pp para 60% no mês em análise.