INE: dormidas continuam a crescer a ritmo lento

Em Setembro a actividade turística continuou o seu caminho de crescimento, registando 2,9 milhões de hóspedes que proporcionaram 7,6 milhões de dormidas, subidas de 5,2% e 3,3%, respectivamente, díspares dos crescimentos de 6,7% e 2,9% de Agosto.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, publicados esta sexta-feira, no mês de Setembro o mercado interno contribuiu com 2,2 milhões de dormidas (+4,4%), com as dormidas dos mercados externos a atingirem os 5,4 milhões (+2,9%), representando um peso de 70,9%. Nos primeiros nove meses do ano as dormidas aumentaram 3,9%, com os residentes a contribuir com uma subida de 6,4% e os não residentes com +2,9%.

De entre os não residentes, o mercado britânico (20,9% do total das dormidas de não residentes em Setembro) registou um aumento de 0,1%, tendo crescido 0,8% desde o início do ano. Por outro lado, as dormidas de hóspedes alemães (13% do total) mostram uma queda de 8,1% em Setembro, tendo recuado já 6,8% este ano. Já o mercado espanhol (9,3%) cresceu 9,5%, 8,2% desde o início do ano. As dormidas de franceses (8,9% do total) diminuíram 1,9% em Setembro e 1,2% nos primeiros nove meses de 2019.

Na actividade turística de Setembro destaca-se o mercado norte-americano, o quinto principal mercado emissor nesse mês (6% do total), com um aumento expressivo de 21,1%, tendo crescido 19,4% este ano. Destacam-se também o mercado chinês (+23,8%), brasileiro (+14,2%), irlandês (+13,3%) e canadiano (+11,2%). Entre Janeiro e Setembro, os maiores crescimentos observam-se também nos mercados chinês (+16,2%) e brasileiro (+13,8%).

Em Setembro, registaram-se aumentos das dormidas em todas as regiões portuguesas, com excepção da Madeira (-4,1%). Os maiores crescimentos notam-se no Norte e em Lisboa, 8% e 5,1%, respectivamente. O Algarve concentrou 33,8% das dormidas em Setembro, seguido da AM Lisboa (23,9%) e do Norte (14,9%). As dormidas de residentes apresentaram, em Setembro, aumentos em todas as regiões menos na AM Lisboa (-0,3%), destacando-se os Açores (+13,1%), Madeira (8,7%) e Algarve (+7%).

No que diz respeito à estada média nos estabelecimentos de alojamento turístico, em Setembro fixou-se nas 2,64 noites, uma queda de 1,8%. Apenas o Alentejo (+3%) e o Centro (+0,2%) fogem à regressão da estada média, com a maior redução a verificar-se na Madeira (-4,2%), fixando-se nas 5,18 noites. A taxa líquida de ocupação recuou 1,9 p.p. para os 57,1%, com as mais elevadas a registarem-se na Madeira (66,7%), AM Lisboa (66%) e Algarve (62,2%).