INE: Mercados de longo curso foram os que mais cresceram em Janeiro

Os últimos dados divulgados pelo INE referentes à actividade turística em Janeiro, dão destaque aos crescimentos registados pelos mercados chinês (+30,4%), norte-americano (+23,9%), canadiano (+14,7%), irlandês (+11,3%), e brasileiro 4,5%.

No primeiro mês do ano, o sector do alojamento turístico contabilizou 1,3 milhões de hóspedes que se traduziu em três milhões de dormidas, correspondendo estes valores a variações positivas de 7,2% e 4,7%, respectivamente, face a Janeiro do ano passado.

No mês em análise as dormidas dos residentes cresceram muito acima das dos não residentes, ou seja, 8,2% contra 3,1%, quando em Dezembro de 2018 a situação havia-se invertido.

Mercado interno teve um crescimento mais notório, tendo contribuído com 963,1 mil dormidas, que representaram uma subida de 8,2%, que em Dezembro haviam aumentado 4,6%, desacelerou o crescimento para 3,1%, atingindo dois milhões de dormidas.

Em Janeiro, a taxa líquida de ocupação-cama situou-se nos 28,4%, com uma subida de 0,2 p.p. face ao mesmo mês de 2018, enquanto na análise do INE, a estada média foi de 2,38 noites, tendo-se verificado uma quebra de 2,3%, mas mais acentuada nos não residentes (-2,5%) do que nos residentes (-0,6%)

Quando aos mercados externos, o britânico cresceu 4,3% em Janeiro, dando continuidade aos acréscimos de 9,7% em Dezembro e 8,7% em Novembro, contrariando as reduções que aconteciam desde Outubro de 2017. Já as dormidas de hóspedes alemães apresentaram um decréscimo de 1,5%.

As dormidas cresceram na maioria das regiões, com realce para o Alentejo (+18,3%) e Norte (+10,5%). Em sentido contrário, assinala-se o decréscimo na Madeira (-2,5%).