INE: Número de portugueses que viajou ao estrangeiro subiu 18%

No segundo trimestre deste ano o número de residentes que viajou ao estrangeiro aumentou 18,1% o que correspondeu a 621,8 mil viagens. A proporção de deslocações turísticas com destino ao estrangeiro situou-se em 13,1% (+1,8 p.p.).

De acordo com dados do INE divulgados esta sexta-feira, as viagens domésticas totalizaram 4,1 milhões, valor que representa um ligeiro acréscimo de 0,1%.

A principal motivação nas viagens realizadas ao estrangeiro foi o “lazer, recreio ou férias” (59,9% deste total), seguindo-se os motivos “profissionais ou de negócios” (25,9%) e a “visita a familiares ou amigos” (13,3%).

Nas viagens em território nacional, a “visita a familiares ou amigos” motivou 45,4% das deslocações, cabendo às viagens por motivos de “lazer, recreio ou férias” um peso de 43,1%. As deslocações “profissionais ou de negócios” geraram 6,5% das deslocações domésticas totais.

O INE revela ainda que no período em análise, a reserva antecipada de serviços foi efectuada em 32,2% das viagens realizadas tendo-se verificado um aumento de 1,6 p.p., com as viagens ao estrangeiro a consumirem 90% do total. O recurso à internet ocorreu em 19,3% das viagens realizadas (+1,8 p.p.), método que foi usado em 55,7% das deslocações com destino ao estrangeiro (+3,4 p.p.).

Em média, cada turista residente pernoitou 4,62 noites nas viagens turísticas realizadas no 2º trimestre de 2018, verificando-se uma descida de 3,7%.

Embora as viagens ao estrangeiro tenham acelerado no trimestre analisado pelo INE, as deslocações turísticas totais dos residentes desaceleraram face ao primeiro trimestre que foi +21,1%, tendo ficado nos +2,1%. Os “hotéis e similares” aumentaram a sua importância relativa, constituindo a escolha para 28,1% das dormidas resultantes das viagens turísticas.