INE: Portugueses estão a viajar mais, principalmente ao estrangeiro

O “efeito Páscoa” terá sido um dos responsáveis para o aumento de 12% registado no número de deslocações turísticas dos portugueses no primeiro trimestre deste ano. Neste período, as viagens ao estrangeiro foram as que maior subida registaram.

Os portugueses estão a viajar mais, tanto cá dentro como, principalmente, lá fora, com os indicadores dos últimos dois trimestres a evidenciarem isso mesmo. Dados publicados esta quarta-feira pelo INE – Instituto Nacional de Estatística, dão conta de um aumento de 12,1% no número de viagens realizadas pelos residentes que atingiram cerca de 4,5 milhões. O INE justifica esta variação positiva de dois dígitos (no último trimestre do ano passado o crescimento tinha sido de 7,4%) com o facto de a Páscoa ter acontecido em Março.

Importante crescimento (+ 14,9%) tiveram as viagens turísticas ao estrangeiro que corresponderam a 10,5% do total de deslocações (cerca de 470,5 mil), quando as viagens “cá dentro” registaram um aumento de 11,8% para cerca de 4 milhões.

A “visita a familiares ou amigos” foi a principal motivação das viagens no primeiro trimestre deste ano, com 49,7% total, o que corresponde a cerca de 2,2 milhões de viagens. Em segundo lugar esteve a motivação “lazer, recreio ou férias” com 34,3% do total (cerca de 1,54 milhões de viagens), enquanto as deslocações por motivos “profissionais ou de negócios” justificaram 494,1 mil viagens (11,0% do total).

No que toca ao tipo de alojamento escolhido, “hotéis e similares” acolheram 21,1% das dormidas do trimestre (+2,0 p.p.), cabendo ao “alojamento particular gratuito” 70,4% das dormidas totais (-4,1 p.p.).

Isolando as viagens ao estrangeiro, a maior parte, 51,1%, foi realizada por “lazer, recreio ou férias), com as motivações  “visita a familiares ou amigos” e “profissionais ou de negócios” a corresponderem a 19,5% e 27,9% do total.

Já nas viagens domésticas, a “visita a familiares ou amigos” predominou (53,3%), seguindo-se as viagens por motivos de “lazer, recreio ou férias” (32,4%). As deslocações “profissionais ou de negócios” geraram 9,1% das deslocações.

O INE avança também que houve recurso à internet na organização de 16,2% das viagens turísticas (-0,3 p.p.), nomeadamente em 61,8% das que tiveram destino o estrangeiro.