INE: Sazonalidade baixou ligeiramente em 2019

O Instituto Nacional de Estatística publicou a 14 de Fevereiro, os dados preliminares da actividade turística em 2019 que dão conta de uma ligeira baixa nos índices de sazonalidade, em 0,1pp face ao ano anterior. A região com maior sazonalidade é o Algarve e o mercado esterno mais sazonal é o espanhol.

De acordo com os dados preliminares divulgados pelo INE, apesar de os meses de Verão continuarem a ser os de maior procura turística em Portugal, protagonizando um primeiro lugar destacado, os índices de sazonalidade estão a cair um pouco, ano após ano, o que mostra que a procura turística está a crescer em meses das estações média e até baixa. De sublinhar que este a diminuição dos índices de sazonalidade é um dos grandes objectivos traçados na Estratégia Turismo 2027.

Em 2019, os meses de Julho, Agosto e Setembro foram responsáveis por 36,3% do total das dormidas registadas ao longo de todo o ano de 2019, o que representa uma ligeira baixa do rácio de sazonalidade, já que em 2018 os mesmos meses albergaram 36,7% do total de dormidas. O INE separa o mercado interno dos internacionais e mostra que o terceiro trimestre do ano concentrou 38,6% das dormidas de residentes (39,5% em 2018) e 35,3% das dormidas de não residentes (35,5% em 2018).

“Avaliando a sazonalidade através do rácio entre os meses com maior e com menor procura, verifica-se que este rácio se situou em 3,2 em 2019 (3,3 em 2018), o que significa que a ocupação (medida em número de dormidas) no mês de maior procura foi 3,2 vezes superior à verificada no mês de menor procura”, explica a informação do INE que avança também que “nos residentes este rácio situou-se em 3,5 (3,7 em 2018) e nos não residentes em 3,0 (3,1 no ano anterior) ”.

De sublinhar que, no que toca aos mercados internacionais, o espanhol é aquele que apresenta uma taxa de sazonalidade maior, 43,8%, o que significa que as dormidas respeitantes a este mercado são 6,8 vezes mais no mês de maior procura do que no de menor procura. Segue-se o mercado francês com uma taxa de sazonalidade de 37,8%.

No pólo oposto, como sendo os mercados que mais se espalham ao longo do ano, o INE identificou os mercados brasileiro e alemão, com taxas de 30,1% e 30,8%, respectivamente, apresentando rácios de 2,4 e 2,9.

No que toca às regiões, o Algarve é a mais sazonal (42,9%, rácio de 6,2), seguindo-se os Açores (39,8%, rácio de 4,2) e o Alentejo (39,5%, rácio de 4,2). No pólo oposto, a protagonizarem a mais baixas taxas de sazonalidade, estão Madeira (30,7%, rácio de 1,9) e a Área Metropolitana de Lisboa (30,9%, rácio de 2,1).