Lançado guia “Da Gallaecia à euro-região: rotas turísticas da nossa história”

Há toda uma euro-região para explorar, do ponto de vista turístico, no norte de Portugal e Galiza. Outrora unido na ‘Gallaecia’, este território partilha e preserva um legado histórico e patrimonial que vale a pena descobrir.

‘As rotas turísticas da nossa história’ são as propostas que o Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular lança num guia, que começou a ser distribuído esta segunda-feira.

Este guia, uma edição bienal do Eixo Atlântico, é uma forma de se orientar na descoberta ‘Da Gallaecia à euro-região’.
Logo a abrir o guia, o presidente do Eixo Atlântico, e também da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, assume o turismo como “um dos principais elementos de desenvolvimento económico para o sector terciário das nossas cidades e, consequentemente, de criação de emprego, ou sejam cada vez que saímos para desfrutar do atractivo das nossas cidades, da nossa gastronomia, da nossa natureza e do nosso comércio, ao mesmo tempo estamos a criar postos de trabalho cujo impacto económico também nos beneficia”.
Ricardo Rio explica, também, o peso desta euro-região que tem sete milhões de habitantes, e a estratégia do Eixo Atlântico: “as nossas cidades entenderam que não devem competir entre si nem disputar o mercado turístico, mas que todas se complementam para captar maior mercado turístico através de uma oferta mais plural, complementar e enriquecedora”.
A edição deste ano do guia foca-se na “história como elemento motivador de próximas escapadelas turísticas” destaca o presidente da Câmara Municipal de ‘O Barco de Valdeorras’ e vice-presidente do Eixo Atlântico, Alfredo García Rodríguez.

O autarca espanhol lembra que tradicionalmente, “os grandes destinos turísticos na Galiza concentraram-se em Santiago de Compostela e no Caminho de Santiago, ocultando “as restantes alternativas complementares e extraordinariamente atractivas na região”. Desde a cultura megalítica aos vestígios da época romana, há toda uma ligação histórica entre o Norte de Portugal e a Galiza, que se cimenta na actualidade pela mão do Eixo Atlântico.