Lucros da eDreams crescem 6%

Nos três primeiros meses de exercício deste ano (Abril-Junho), os lucros da eDreams Odigeo atingiram 113,8 milhões de euros, o que se traduziu num crescimento de 6% face ao mesmo período de 2014. As reservas também aumentaram 4% e o EBITDA situaram-se nos 22,4 milhões de euros.

Entre Abril e Junho, o grupo que detém as marcas eDreams, GO Voyages, Opodo, Travellink e Liligo, registou 2.6 milhões de reservas (+4%), o que juntamente com o aumento de 2% na receita por reserva, resultou numa margem de lucro de 113.8 milhões de euros (+6%).

No mesmo período, o forte desempenho de ambas as áreas de negócios (voos e não voos), nomeadamente o último (hotéis, aluguer de automóveis, pacotes dinâmicos e outros) , juntamente com o crescimento contínuo fora da Europa e o aumento da margem de lucro por reserva, levaram a resultados positivos e rentabilidade de negócio, em linha com os objectivos estabelecidos para o ano fiscal de 2015/16. A margem de receitas de cada negócio cresceu 6% e 7%, respectivamente, enquanto o negócio de não-voos aumentou significativamente a margem de lucro por reserva em 12%.

Maior destaque para o mobile que continua a atrair uma grande parte dos clientes com 4,9 milhões de downloads móveis (+ 73%). Entre Abril e Junho houve um aumento de 38% no número de reservas móveis e um crescimento de 15% para 20% da quota de reservas móveis (+ 29%).

Entretanto, com vista a manter a sua forte posição de liderança e aumentar o seu desempenho, a empresa, que é um dos maiores distribuidores de voos online do mundo, adaptou um plano estratégico a introdução de seis iniciativas chave, que passam pela optimização de fontes de tráfego através da reavaliação do mix de canais para uma maior concentração em canais low-cost e retenção de clientes, expansão do foco na rede móvel, que tem vindo a atrair cada vez maior percentagem de clientes, bem como melhoria da experiência do consumidor do início ao fim, simplificando o interface do utilizador.

O grupo vai igualmente apostar na manutenção de um modelo ajustado e ágil, com a melhoria da qualidade do produto, através do aumento da flexibilidade, na diversificação da sua receita, fornecendo produtos e serviços de valor agregado, e promoção da cultura e talento através da criação de uma empresa apaixonada e competente que impulsiona o sucesso a longo prazo.

Para o ano fiscal de 2015-16, as perspectivas apontam para mais de 9,7 milhões de reservas, uma margem de receitas superior a 436 milhões de euros e um EBITDA ajustado entre 91 e 94 milhões de euros.