Luís Marcão: “Prevemos um crescimento na ordem dos 6%”

Luís Marcão, director dos M’AR De AR Hotels, em Évora, está optimista em relação a 2016, prevendo “um crescimento na ordem dos 6%”.

Para que o crescimento seja sustentável na região e, nomeadamente, em Évora, o responsável sustenta que é preciso, por um lado “resolver a sazonalidade” e, por outro “a missão dos hotéis é adaptar e inovar cada vez mais os serviços de acordo com as expectativas e exigências dos novos clientes, desta forma julgo que o sector irá continuar a crescer”.
Ao fazer o balanço do ano anterior, Luís Marcão declarou ao turisver.com que, comparativamente aos últimos 2 anos, em 2015 “verificou-se um aumento na taxa de ocupação e no preço médio. A taxa de ocupação cresceu 8% e o preço médio 3%. São crescimentos significativos tendo em conta a consolidação das unidades”.

Em conjunto, os dois hotéis, o M’Ar De AR Aqueduto (5 estrelas) e o M’Ar De AR Muralhas (4 estrelas), fecharam acima dos 70%. Já o RevPAR ficou próximo dos 50 euros. O preço médio no primeiro situou-se entre os 122 euros e os 227 euros, e no segundo, entre os 77 euros e os 122 euros.

Sem esquecer os custos de exploração, considerados elevados na hotelaria portuguesa, o director da cadeia refere que “havendo crescimento na taxa de ocupação, a consequente subida na facturação é óbvia, fazem com que a rentabilidade cresça automaticamente. Os custos de exploração são elevados e fixos, ou seja se há uma melhoria na performance de vendas o efeito é todo absorvido a favor da rentabilidade”.