Março sem Páscoa influencia indicadores turísticos algarvios

Uma taxa de ocupação estável e volume de vendas em queda marcaram o Março algarvio, segundo dados divulgados sexta-feira pela AHETA. A “culpa” é do efeito Páscoa, quadra que este ano apenas se viverá em Abril, ao contrário do que aconteceu o ano passado.

De acordo com os dados divulgados sexta-feira, 5 de Abril, pela Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, a taxa de ocupação global média/quarto na região durante o mês de Março foi de 53,7%, semelhante ao valor verificado em 2018 (-0,1%).

Os mercados que apresentaram as maiores descidas face ao mesmo período do ano passado foram o espanhol (-37,0%), o português (-15,7%) e o irlandês (-12,9%) com os dois primeiros a estarem muito dependentes do “efeito Páscoa”. Estas descidas foram no entanto compensadas pelos mercados francês e sueco que registaram subidas homólogas de 20,5% e 47,3%, respectivamente.

Queda assinalável teve o volume de vendas que desceu 6% face a Março do ano passado, situação que a AHETA relaciona também com o facto de a Páscoa ser este ano mais tardia.

A AHETA avança ainda que no acumulado dos três primeiros meses deste ano, a taxa de ocupação quarto regista uma subida média de 0,5% em termos homólogos.