MSC Cruzeiros terá em 2018 “o maior crescimento até hoje” em Portugal

A 12 de Outubro a MSC Cruzeiros apresentou em Lisboa, a bordo do MSC Divina, as novidades da companhia de cruzeiros para a temporada 2019/2020. Eduardo Cabrita, director-geral da MSC Cruzeiros em Portugal falou de novos itinerários e destinos, novos navios e também do crescimento percentual anual da MSC em Portugal, que este ano será “o maior crescimento até hoje”.

Em 2019 Portugal vai contar com menos itinerários a passar pelas suas cidades. Lisboa volta a ter o mesmo número de partidas deste ano, cinco, a 28 de Setembro, 7, 16 e 25 de Outubro e 3 de Novembro. Estes itinerários de 10 noites/11 dias serão feitos a bordo do MSC Preziosa. Por Lisboa passa também o posicionamento do MSC Preziosa a 12 de Novembro, num cruzeiro de cinco dias, até Génova. Já o MSC Divina fará uma grande viagem entre Miami e Génova a passar por Lisboa em Março de 2019, partindo meses mais tarde para Miami, de modo a se reposicionar nos EUA.

Os quatro itinerários com embarque e desembarque no Funchal em 2018 perdem-se em 2019 “por uma razão de itinerário”, explica Eduardo Cabrita, que no próximo ano será feito em ‘butterfly’. Já Ponta Delgada contará, novamente, com duas escalas em 2019, dos navios que vêm de Miami em Março e Novembro para o reposicionamento na Europa. Portugal vai contar, também, com a passagem do MSC World Cruise tanto em 2019 como em 2020.

A Volta ao Mundo 2019 vai começar no próximo mês de Janeiro e encontra-se esgotada “há bastantes meses”, sendo que “2020 vai no bom caminho”. A Volta ao Mundo 2020 é uma adaptação da primeira, com algumas alterações do itinerário, incluindo em Portugal. Em 2019 passa somente no Funchal, enquanto em 2020 passará tanto nesse porto como em Lisboa. Decorre entre 5 de Janeiro e 30 de Abril também no MSC Magnifica, com capacidade para 3.300 passageiros. São 117 dias a passar por cinco continentes, 23 países, 43 destinos, com oito overnights. Na Volta ao Mundo 2019 viajará um total de 99 portugueses.

Eduardo Cabrita elucidou que “sentimos que os portugueses estão cada vez mais próximos do que são férias de cruzeiro”, o que terá contribuído para o crescimento a dois dígitos que prevê para 2018, comparativamente com o ano que passou. Será, aliás, “o maior crescimento que tivemos até hoje na MSC em Portugal”, e que “posso dizer que será provavelmente no segundo dígito das dezenas”. Este crescimento deve-se também “à posição muito forte da MSC Cruzeiros junto do mercado […], que acaba por gerar um grande ‘buzz’ à volta do que é a MSC Cruzeiros e do que é o produto cruzeiros”, ao aumento de capacidade que se verificou nos passados quatro anos e ao facto de grande parte desta capacidade estar concentrada no Mediterrâneo no Verão.

Na apresentação da nova brochura da MSC Cruzeiros para 2019 e 2020 estiveram em destaque os novos navios de cruzeiro a ser inaugurado em 2019. Da Classe Meraviglia, o MSC Bellisima e MSC Grandiosa vão ser inaugurados a 2 de Março e 2 de Novembro, em Southampton e Hamburgo, respectivamente. Ambos passarão em Lisboa nas suas viagens inaugurais, o MSC Bellissima a 8 de Março e o MSC Grandiosa a 15 de Novembro. O primeiro efectuará viagens pelo Mediterrâneo até Novembro, onde começará a cruzar os mares do Dubai, Abu Dhabi e Índia. Nesse mês de Novembro será substituído pelo MSC Grandiosa, que começa a navegar o Mediterrâneo, com algumas alterações de itinerário.

O Verão de 2019 vai, então, contar com 16 navios numa vasta operação. No Mediterrâneo a MSC Cruzeiros terá posicionados nove navios, juntando-se quatro no Norte da Europa, o MSC Armonia e o novo MSC Seaside nas Caraíbas, Cuba e Antilhas e o MSC Splendida a fazer itinerários pela China e Japão.

O Inverno contará já com 17 navios e tem como grande novidade os cruzeiros pela América do Norte e Canadá, a bordo do MSC Meraviglia, com itinerários a partir de Nova Iorque e a percorrer a Costa Atlântica para Norte, ao longo do mês de Outubro. A partir de Novembro este navio será posicionado para cruzeiros nas Caraíbas, Cuba e Antilhas, onde a MSC Cruzeiros reforça a sua capacidade, contando com um total de seis navios. No Inverno, “a nossa capacidade passa a estar mais centrada na nossa liderança, que é a América do Sul, as Caraíbas, a África do Sul e Dubai”, explica Eduardo Cabrita.