Na Bestravel a rentabilidade cresceu mais que as vendas

A  13ª Convenção da Bestravel, que decorreu no passado fim-de-semana no Vila Galé Club de Campo, em Beja, reunindo 90% das agências da rede, ficou marcada por um positivismo alavancado pelos bons resultados de vendas: +14% obtidos até Outubro, face a igual período do ano passado. 

A transposição para a legislação portuguesa da directiva comunitária sobre viagens organizadas, que tem de ser implementada até 1 Julho de 2018, marcou o debate no qual participaram Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT, Rui Colmonero, advogado da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, e Rogério Gabriel, director comercial da seguradora SGS.

Este está a ser um ano de crescimento “com mais rentabilidade“ afirmou Carlos Neves, administrador da Bestravel, em conferência de imprensa. Entre Janeiro e Outubro “crescemos 14% nas vendas e 17% na margem, face a igual período do ano passado, resultado obtido mesmo com um decréscimo de quatro agências que saíram da rede.

Este ano a rede de agências vai crescer e “será um ano de inflexão”. Segundo Carlos Neves, está confirmada a abertura de três novas agências, duas na região de Lisboa e uma na região Centro, até ao início de Fevereiro, que, afirmou, “é a nossa data limite para abrir novas franquias em cada ano”- uma limitação imposta pela Geocontur que a justifica pela necessidade de se começar a trabalhar para o Verão seguinte.

Acrescer agências à rede só para aumentar o seu número não é o objectivo do administrador da Bestravel que a este propósito adianta que  “a rede cresce muito organicamente o que nos deixa mais satisfeitos e descansados relativamente à própria estrutura da rede”. O responsável acrescentou ainda que “esta é uma rede franquiada e que o negócio do ‘master’ “não é vender franquias, mas vender negócios que sejam rentáveis e sustentáveis a médio prazo”.