Novo acordo TP e ANA dá resposta a charters e rotas com potencial de crescimento

O novo acordo de cooperação estratégica ontem celebrado pelo Turismo de Portugal e Ana – Aeroportos de Portugal, permite que a cooperação seja alargada a operações charter, ajudando, por exemplo, a dinamizar operações pontuais de interesse estratégico mas localizadas no tempo, contrariando a sazonalidade, ou a captar tráfego para rotas existentes com potencial de crescimento.
Válido por cinco anos, para além de já não estar circunscrito ao desenvolvimento das rotas aéreas através do programa Iniciative, este novo acordo passa a integrar as rotas e a procura turística para reforçar o crescimento efectivo do turismo e a receita por ele gerada.
Parte estrutural do novo acordo assenta na partilha e tratamento de dados entre as duas entidades, permitindo em articulação recolher informação útil e eficaz para monitorizar a carteira de rotas dos aeroportos nacionais e as tendências de evolução dos mercados turísticos.
Para Jorge Ponce Leão, presidente da ANA – Aeroportos de Portugal, “continuaremos a optimizar o desempenho e a sustentabilidade das rotas criadas mas, com esta partilha estratégica, temos maior amplitude para ultrapassar os limites do programa Iniciative, diversificando para novos mercados, incluindo os emergentes, promovendo Portugal junto de operadores relevantes sem frota própria e promovendo as operações turísticas existentes nas várias regiões, mesmo onde não existem aeroportos”.
A reforçar Ponce Leão, João Cotrim de Figueiredo, presidente do Turismo de Portugal disse que “o trabalho permitiu melhorar significativamente a resposta em termos de rotas e captação de passageiros mas queremos ir mais longe e transformar esses passageiros em mais hóspedes, mais dormidas e mais receitas. Isto só pode ser feito se a política de transporte aéreo e a estratégia do turismo estiverem perfeitamente alinhadas”.
S.C.F.