Novo imposto sobre património imobiliário preocupa NERA

O presidente da Associação Empresarial do Algarve (NERA), Vítor Neto, considera que a região “pode ser fortemente afectada” com a medida, que está a ser ponderada pelo Governo para o Orçamento de Estado de 2017, para criação de um novo imposto sobre o património imobiliário.

O empresário e ex-secretário de Estado do Turismo diz que a medida gera “perplexidade e dúvidas, e sobretudo muita incerteza”, o que poderá “ter consequência imediata nas intenções de investimento e desinvestimento”, defendendo que “a região do Algarve, onde existe um vasto mercado imobiliário, cuja tributação em IMI já é elevada, pode ser fortemente afectada por mais medidas que possam gerar insegurança nos investidores nacionais e em particular nos investidores estrangeiros, que actuam de formas diferentes, entre as quais os Vistos Gold”.

Neste sentido considera que Portugal e o Algarve, em particular, não se podem dar ao luxo de perder investimento estrangeiro e de afugentar quem cá já investiu”.

Em comunicado, a associação refere que “desconhece-se o âmbito dos sectores, os mecanismos aplicados e os valores em causa, mas uma coisa é certa: o Governo já confirmou que o próximo Orçamento de Estado irá contemplar um novo imposto sobre o património imobiliário”, apelando, no entanto, ao Governo para que reconsidere a sua intenção.