Operadores cancelam charters para Enfidha-Hammamet

O cancelamento, anunciado em comunicado pela APAVT, abrange as operações da Soltrópico, Travelers, Travelplan e Viajar Tours e tem efeitos imediatos, sendo consequência do atentado terrorista da passada sexta-feira em Sousse. O regresso dos passageiros está, no entanto, assegurado.
“Os operadores turísticos com programas em voo charter à partida de Portugal para a Enfidha-Hammamet (Tunísia) – Viajar Tours, Travelers, Travelplan e Soltrópico – cancelam todas as suas operações, com efeitos imediatos, assegurando, contudo, o regresso de todos os clientes que ali permanecem” lê-se no comunicado difundido pela Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) no passado sábado.
Consequência directa do atentado contra turistas verificado na passada sexta-feira em Sousse (Tunísia) que vitimou, entre outros, uma turista portuguesa, a decisão configura “uma situação de força maior” e “vai ao encontro das preocupações manifestadas pelos clientes que os operadores e agências de viagens não podem deixar de tomar em consideração”, sublinha a APAVT no referido comunicado.
Assim, os operadores, segundo informa a Associação, “permitirão que os clientes cancelem as suas reservas sem despesas, bastando para tal que as agências de viagens enviem o pedido de cancelamento apresentado pelo cliente”, além de garantirem o “reembolso dos montantes entretanto recebidos dos clientes”.
Frisando ser “com pesar” que são abandonadas as operações para a Tunísia, “quando este país tem reconhecidamente vindo a fazer um enorme esforço na recuperação económica por via do Turismo”, a APAVT, em seu nome e dos operadores portugueses expressa pesar pelo falecimento “de uma sua cliente, bem como de todas as demais vítimas deste odioso massacre, apresentando às famílias enlutadas as suas condolências”.
M.F.