Com organismo autónomo de turismo Serra da Estrela “estaria a dar um passo atrás”

Como o Turisver.com noticiou, a Serra da Estrela reivindica a criação de um organismo de turismo autónomo para a região. Pedro Machado, presidente da ERT Centro de Portugal afirma “respeitar” a posição mas alerta para o “passo atrás” que tal poderia significar, num momento em que os territórios estão cada vez mais voltados para o trabalho em rede.

Na passada semana a Assembleia da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela aprovou uma recomendação ao Governo apelando à criação de uma unidade autónoma de turismo para a região, reivindicação que tinha já sido feita pelo presidente da Câmara da Covilhã. Questionado pelo Turisver.com sobre esta posição, Pedro Machado, presidente da Entidade Regional de Turismo Centro de Portugal onde se insere a região da Serra da Estrela, disse desconhecer os fundamentos da recomendação feita ao governo o que não o impede de a “respeitar”. “Não conheço o texto da recomendação, isto é, não conheço os fundamentos nem conheço a substância do documento, não me foi enviado, pelo que só posso dizer que respeito, mas não conheço”, afirmou-nos.

Lembrando que este “não é um movimento inédito”, até porque “a Serra da Estrela fez a sua Região de Turismo em 1957”, Pedro Machado frisa no entanto que existe actualmente “um esforço de concertação regional que não é favorável a esse movimento”, até porque, sublinha, “a programação da região, o investimento global da região, o quadro comunitário da região apontam para territórios que trabalhem em rede e não para territórios que trabalhem separados”.

Lembra ainda que, principalmente à escala internacional, a actividade turística é hoje “pouco compatível com micro territórios”. Estes “são importantes para a oferta turística e para a diferenciação mas são pouco verosímeis para uma afirmação internacional e global”. Daí que com este movimento “a Serra da Estrela estaria, do meu ponto de vista e a ser verdade o que vem sendo noticiado, a dar um passo atrás”.

Já quanto à abertura da base área de Monte Real ao tráfego civil reivindicada pelos deputados do PS de Leiria, Pedro Machado, lembrando que “também esta é uma velha questão” que vem já dos anos 80, disse ao Turisver.com que tal medida seria, para o Centro de Portugal, “um factor de desenvolvimento intra-regional, quer do ponto de vista económico empresarial quer do ponto de vista do turismo, em particular para o turismo religioso”.