Património paisagístico do Barroso busca classificação

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) pretende candidatar a região do Barroso a património mundial paisagístico.

A cultura, a paisagem e a gastronomia locais são a base do processo que se for aprovado passa a ser a primeira região na Europa a obter este reconhecimento.

O projecto tem como linhas de orientação a segurança alimentar e de subsistência, biodiversidade e função dos ecossistemas, sistemas de conhecimento e tecnologias adaptadas, cultura, sistemas de valores e organizações sociais na agricultura e, por último, os recursos notáveis de paisagens e recursos hídricos.

Segundo uma delegação da FAO, que visitou a região, o Barroso, onde se incluem os concelhos de Boticas e Montalegre, apresenta todas as condições para a apresentação de uma candidatura, processo que envolve várias entidades tais como a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), a Universidade do Minho (UM), a Associação de Desenvolvimento do Alto Tâmega (ADRAT) e a Direção Regional de Agricultura (DRA).