Plano de relançamento do turismo em França conta com 1,5 M€

O governo francês mobilizou 500 mil euros adicionais ao plano dotado de 1 milhão de euros, anunciados em Março, para promover o destino no estrangeiro. O novo pacote financeiro, coordenado pela Atout France, irá abranger sobretudo a Riviera Francesa.

Um novo comité de urgência económica do turismo vai reunir no início de Setembro, depois de uma reunião no início de Julho, e incidirá sobre as regiões francesas mais afectadas.

Após um ano de 2015 considerado excepcional, 2016 é considerado um ano à parte pelos profissionais do turismo. Com efeito, as chegadas de turistas estrangeiros desde o início do ano caíram 7% em todo o país, embora algumas regiões estejam estáveis em comparação com 2015.

O Euro 2016 fez com que cidades como Lens, Lille e Saint-Etienne experimentassem taxas de ocupação recordes, com aumento de volume de negócios de 70% para os hotéis. Igualmente, importantes eventos culturais estão a captar a atenção de turistas internacionais, enquanto os parques de atracção devem crescer mais de 2%, após recordes em 2015.

No entanto o turismo em França conta com a “fragilidade” de Paris, afectada pelos atentados e greves na Primavera, atingindo uma quebra de 10% no número de turistas internacionais. A cidade de Nice, apesar dos hoteleiros e companhias aéreas terem ajustado os preços, a chegada de turistas estrangeiros caiu 3,6% desde 14 de Julho.

A França aponta outras causas para esta diminuição de turistas, tais como as dificuldades económicas da Rússia e do Brasil, e o mau tempo que se verificou no país, com mais 50 dias de chuva no segundo trimestre e o calendário com apenas dois feriados.

Apesar deste contexto difícil, a França deve permanecer destino turístico de topo do mundo em 2016, com 80 milhões de turistas estrangeiros e um forte aumento nos destinos franceses ultramarinos. Este sector gera entre 7 e 8 % do nosso PIB e dois milhões de empregos directos e indirectos no país.