Portugal foi 2º mercado emissor para Cabo Verde no 2ºtrimestre

O principal mercado emissor de turistas para Cabo Verde no segundo trimestre continua a ser o Reino Unido com 25,1% do total das entradas, e a seguir posiciona-se Portugal, responsável por 12,1% desse total, revela o INE cabo-verdiano.

Relativamente às dormidas, o Reino Unido também permanece no primeiro lugar com 33,7% do total, seguido de Alemanha, Bélgica-Holanda (Países-Baixos), e só depois Portugal e França, com 12,7%; 10,7%, 9,7% e 8,4% respectivamente.

As dormidas dos residentes em Portugal distribuíram-se principalmente pelas Ilhas do Sal (61,6%), Boavista (21,5%) e Santiago (11,1%). Os Hotéis foram os tipos de estabelecimentos mais procurados pelos portugueses (94,4%).

Durante o segundo trimestre de 2018, em média, a taxa de ocupação-cama, a nível geral, foi de 47%, contra os 50% registados no trimestre homólogo. As ilhas da Boavista e do Sal tiveram as maiores taxas de ocupação – cama com 71% e 50%, respectivamente.

No período em análise, o número de hóspedes no país aumentou 9,5% face ao trimestre homólogo, enquanto as dormidas cresceram 9,3%. O Reino Unido foi o principal país de proveniência de turistas. Os turistas ingleses foram os que permaneceram mais tempo em Cabo Verde, com uma estadia média de 8,5 noites. Neste indicador Portugal aparece na sétima posição com uma estadia média de 4,8 noites. A ilha do Sal foi a mais procurada pelos turistas, representando cerca de 55% das dormidas nos estabelecimentos hoteleiros.

Os dados acumulados no período de Janeiro a Junho de 2018, mostram que os estabelecimentos hoteleiros registaram mais de 383 mil hóspedes e cerca de 2,4 milhões de dormidas, movimentos que se traduzem em acréscimos nas entradas e nas dormidas10% face ao semestre do ano anterior.

Analisando os dados por trimestres, constata-se que no segundo trimestre de 2018, os estabelecimentos hoteleiros de Cabo Verde acolheram cerca de 168 mil hóspedes, mais 9,5% do que no mesmo período do ano anterior. Em termos absolutos, entraram nos estabelecimentos hoteleiros mais 14.636 turistas do que em igual período do ano transacto. As dormidas atingiram cerca de um 1,79 milhões no período em análise, traduzindo-se numa variação positiva de 9,3%, em relação ao 2º trimestre de 2017. Em termos absolutos, houve um aumento de 91.771 dormidas.

A ilha do Sal continua a ter maior acolhimento, com 48,4% do total das entradas, seguido da ilha da Boavista, com 27,2% e Santiago com 12,7%.