Portugal representa 10% dos alunos da Les Roches Marbella

Portugal já representa 10% dos alunos da Les Roches Global Hospitality Management de Marbella, “o que significa que já existe uma comunidade bastante interessante de portugueses que têm vindo a passar a palavra de uns para outros”, declarou ao turisver.com. Pedro Martins, responsável pelo recrutamento das Escolas Glion e Les Roches no nosso país.

 margem de um encontro de Alumni Les Roches que decorreu quinta-feira no Four Seasons Hotel Ritz, em Lisboa, no qual participaram Carlos Diez de la Lastra, CEO da Escola, Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, e António Paraíso, consultor de Luxo, Marketing e Inovação, Pedro Martins disse que, normalmente, “todos os anos temos à volta de 50 alunos que vão para as nossas escolas. Estes 50 alunos seriam três vezes mais se os preços das nossas escolas fossem um bocadinho mais económicos, porque vão fazer um investimento muito grande pois têm que sair do país, e pagar não só as propinas mas o alojamento e a alimentação. São as escolas internacionais de Hospitality que têm mais alunos portugueses, entre homens e mulheres, na proporção 50/50, dos quais mais de mil já terão sido formados”.

As Escolas Les Roches Global Hospitality Management e Glion Institute of Higher Education, regressaram a semana passada a Portugal para participarem nas Feiras Study Abroad que se realizaram em Lisboa e no Porto e organizar uma série de reuniões, mais personalizadas, com o objectivo de dar a conhecer os seus cursos, alguns deles a iniciarem-se já em Fevereiro de 2019, e os apresentarem aos jovens portugueses que pretendam abraçar um projecto internacional.

O responsável pelo recrutamento da Glion e Les Roches em Portugal, realçou que “este ano começámos a fazer alguns eventos em feiras internacionais em que estamos a fazer a divulgação das escolas de Hospitality Management – Les Roches e Glion e esses eventos são dirigidos àqueles alunos que querem estudar fora e preparar-se para serem profissionais desta indústria a nível mundial”, acrescentando que “temos notado que muitos deles depois querem voltar para Portugal e desenvolver projectos, o que é uma boa notícia porque há cada vez mais projectos que estão a ser feitos aqui”.

Daí que “as acções que fazemos todos os anos são muito personalizadas, pois vamos estar com potenciais alunos que têm que ter um perfil internacional, que queiram ter uma paixão por esta indústria, que queiram aprender com os melhores e entrar neste ambiente multicultural com gente de todo o mundo que concentramos nas escolas, e aprender com os melhores profissionais que os vão preparar e para que depois as companhias multinacionais os vão buscar directamente às escolas”, explicou para indicar ainda que “são acções muito criteriosas, temos que fazer entrevistas muito personalizadas para ver o perfil do aluno, a sua parte académica, o seu potencial, e a sua capacidade económica. Têm que ter um bom nível de inglês porque temos nas nossas escolas 90 a 100 nacionalidades distintas e a língua comum é o inglês”.

O curso, com a duração de três anos e meio, é sempre o mesmo – BBA in International Hospitality Manegement – mas depois tem diversas especializações e os alunos portugueses também têm abraçado essas especializações. Há igualmente a possibilidade de pós-graduações, às quais Pedro Martins destaca o de Marketing for Luxury Tourism, em Marbella, para trabalhar o segmento de luxo não só em hotéis ou cadeias hoteleiras, mas outras marcas de luxo independentemente de serem do turismo.  

Refira-se que a Glion oferece Campus na Suíça e em Londres, e a Les Roches está presente na Suíça, Marbella e Sanghai.