Processo de privatização da Azores Airlines em bom ritmo

A secretária regional dos Transportes e Obras Públicas dos Açores, Ana Cunha garantiu esta sexta-feira que a SATA está a analisar a proposta apresentada para a alienação de 49% do capital social da Azores Airlines e conta ter resultados “num breve espaço de tempo”.

Em declarações aos jornalistas, em Ponta Delgada, à margem da 67.ª Reunião dos Directores Gerais da Aviação Civil da Conferência Europeia da Aviação Civil, a governante regional disse ainda, conforme noticia a Lusa, que “não é uma operação de confronto e de decisão imediata” porque “há diversos pontos e muita informação na proposta que têm de ser analisados, nomeadamente do ponto de vista da sua conformidade com o caderno de encargos”.

Refira-se que o grupo SATA anunciou em 17 de Abril que a Loftleiðir Icelandic foi pré-qualificada para a segunda fase do processo de negociação da alienação de 49% do capital social da Azores Airlines. Segundo o grupo, ficou pré-qualificado o único potencial comprador que apresentou manifestação de interesse na companhia aérea.

De acordo com o caderno de encargos da alienação de capital da operadora açoriana, o futuro accionista da Azores Airlines terá que “respeitar obrigatoriamente” a manutenção do plano de renovação da frota iniciado com o A321 NEO, bem como promover o “cumprimento da operação aérea regular mínima”, sendo que esta contempla as ligações entre o continente e os Açores, nomeadamente as rotas liberalizadas entre Ponta Delgada e Lisboa, Ponta Delgada e Porto, Terceira e Lisboa e Terceira e Porto.

Igualmente, o futuro accionista tem de assegurar as ligações de obrigação de serviço público entre Lisboa e Horta, Lisboa e Pico, Lisboa e Santa Maria e Ponta Delgada e Funchal, e ainda a operação de Ponta Delgada com Frankfurt, a par das rotas a partir da Terceira e Ponta Delgada com Boston e Oakland, nos Estados Unidos, e Toronto, no Canadá.