Programa Revive vai ser “exportado” para a Bahia

Através de uma parceria com Portugal, por via de um acordo assinado esta sexta-feira, o estado brasileiro da Bahia, torna-se no quinto destino fora de Portugal onde irá chegar o Programa Revive, de requalificação de património para aproveitamento turístico. O objectivo da “exportação” do Revive é promover a recuperação e dinamização económica do património que “fala português”.

Foi assinado esta sexta-feira, dia 21 de Junho, um protocolo de cooperação para o desenvolvimento e implementação do programa Revive no estado brasileiro da Bahia, tendo em vista a recuperação de património histórico relacionado com a cultura lusófona.

Ao abrigo deste protocolo, o estado da Bahia, no nordeste brasileiro, vai “iniciar a recuperação, preservação e rentabilização de património público devoluto de elevado valor patrimonial, cultural e histórico que esteja relacionado com a cultura lusófona, promovendo a sua transformação num activo económico, à imagem do que acontece com o Programa Revive em Portugal”, explica a informação emanada do Gabinete do ministro Adjunto e da Economia.

A mesma nota informa que Portugal vai colaborar com o Estado da Bahia na identificação dos imóveis-piloto que vão integrar o programa Revive, prestando também o seu apoio ao nível da “elaboração de estudos de levantamento arquitectónico, avaliação ou memória histórica”.

Recorde-se que o Revive é um programa conjunto dos Ministérios da Economia, Cultura e Finanças que visa promover a requalificação e aproveitamento turístico de imóveis classificados, “convertendo-os em activos económicos, geradores de emprego e riqueza”! Até ao momento, em Portugal, já foram lançados 17 concursos de concessão em Portugal.

Paralelamente, foram estabelecidas parcerias com países como São Tomé e Príncipe, Angola, Cabo Verde e, agora, Brasil, através do Estado da Bahia para exportação do programa.

*Foto: ©Marília Jacobson – GAROA