Recursos humanos e sustentabilidade são prioridades da nova direcção da  APHORT

Os recursos humanos e a sustentabilidade energética e ambiental são as prioridades estratégicas da nova direcção da APHORT – Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo, eleita no final de Janeiro.

Realizadas no passado mês de Janeiro, as eleições na APHORT reconduziram Rodrigo Pinto de Barros para um último mandato. O novo Conselho Directivo, eleito para 2020-2023, é ainda constituído pelos vice-presidentes: Catherine Rodrigues (Hotel Mercure Braga Centro) classe empreendimentos turísticos; Nuno Rocha (Restaurante Mauritânia) classe Restauração e Bebidas; Daniel Pires (Maus Hábitos); Fernando Amorim (Porto Antas Hotel); Henrique Carvalho da Silva (Clip Hotel) e Marco Ferreira (Restaurante 31 de Janeiro).

A nova direcção vê nos recursos humanos e na sustentabilidade ambiental e energética os dois principais desafios aos quais as empresas desta indústria têm actualmente de saber dar resposta.

Assim, e enquanto associação representativa dos empresários do sector, a APHORT compromete-se a “trabalhar na procura de soluções que permitam assegurar o funcionamento e a sustentabilidade dos seus negócios, sem prejuízo do nível de qualidade dos serviços”.

No discurso da tomada de posse, Rodrigo Pinto Barros assumiu que a Associação não tem receio de pensar “fora da caixa”. “Lançamos ideias e soluções que, muitas vezes, não são aceites de imediato pois representam uma enorme alteração ao modo de fazer as coisas. Mas se acreditamos que é a forma correta, mantemos erguida a nossa vontade e avançamos”, declarou. Como exemplo mencionou a proposta de criação de um “IVA das cidades” como receita municipal, em detrimento da aplicação das taxas turísticas.

Na presidência da APHORT desde 2006, Rodrigo Pinto de Barros, espera agora “concretizar uma mudança geracional da liderança associativa, assegurando uma transição tranquila e segura, que fortaleça e mantenha a estabilidade da instituição”, lê-se numa nota enviada à imprensa.