Resposta da Comissão Europeia ao Covid-19 é favorável ao sector, assinala a ECTAA

Em comunicado, a ECTAA, Confederação Europeia das Associações de Agências de Viagens e Operadores Turísticos, que a APAVT integra, congratula-se com a resposta da Comissão Europeia ao Covid-19, considerando-a “favorável à indústria das viagens e do turismo”.

O reconhecimento, pela Comissão Europeia, dos danos que a pandemia do novo Coronavírus está a causar à industria de viagens e a resposta dada pela instituição no que toca a medidas tendentes a “mitigar o impacto económico do Covid-19” são sublinhados pela ECTAA que afirma a necessidade de pacotes de ajuda temporários às empresas do sector.

“É necessário fornecer pacotes de ajuda temporária para ajudar as empresas de viagens a ultrapassar problemas de liquidez financeira. Essa assistência está actualmente a ser considerada, e por vezes já concedida, nos países mais afectados pelo surto”, assinala Pawel Niewiadomski, presidente da ECTAA, que se congratulou “com o anúncio da Comissão de que os auxílios estatais podem fluir para as empresas, uma vez aprovados”.

No comunicado difundido, a ECTAA faz notar que “os agentes de viagens e operadores turísticos, como parte central da cadeia de valor do turismo, estão a ser «espremidos» de todas as partes: reservaram serviços de viagem para os seus clientes e fizeram pagamentos parciais ou completos a fornecedores de serviços. Mas os clientes estão a cancelar as suas viagens e a pedir reembolsos, sem a possibilidade de os agentes de viagens recuperarem o dinheiro dos fornecedores de serviços”. A situação torna-se ainda mais gravosa porquanto “ao mesmo tempo, os clientes não estão a fazer novas reservas”.

Neste contexto, afirma a ECTAA, “são também necessárias medidas adicionais para garantir a sustentabilidade da indústria de viagens sem quaisquer consequências financeiras para os viajantes”, para o que irá continuar a trabalhar com a Comissão Europeia no sentido de “encontrar medidas de socorro adequadas para os agentes de viagens e operadores turísticos”.