“Rostos do Turismo” Jorge Loureiro presidente adjunto da ARPT do Centro e vice-presidente da AHRESP

Assume-se como alguém que gosta de “fazer muitas coisas ao mesmo tempo” e, sobretudo, de “deixar pegada” em todas as funções que desempenha e que são “sempre pro bono”. Jorge Loureiro está no sector do turismo (hotelaria, restauração, organismos regionais) há mais de duas décadas e quer ainda “fazer muito mais”, como empresário e na vida associativa.

Presidente adjunto da Agência Regional de Promoção Turística do Centro, membro da Comissão Executiva da Turismo Centro de Portugal, Jorge Loureiro é também vice-presidente da AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, entidade associativa de que fundou a Delegação de Viseu, a que preside. Igualmente nesta associação assume as funções de vice-presidente coordenador das várias delegações da região Centro.

A carreira profissional começou-a no Banco Português do Atlântico, onde assumiu diversas funções, e é dali que sai para o turismo, embora “durante algum tempo tivesse feito as suas coisas”. A entrada no turismo, que passaria a ser fundamental na sua vida profissional, acontece no dealbar dos anos 90, quando a família apresenta a candidatura ao primeiro Quadro Comunitário de Apoio para a construção do Hotel Montemuro, nas Termas do Carvalhal. Jorge Loureiro fica então responsável pela implementação do projecto e pela abertura da unidade, no que considera ter sido “uma aprendizagem muito grande”.

Ao Hotel Montemuro esteve ligado durante perto de 20 anos, até 2010, altura em que a unidade foi vendida, mas o “bichinho” da hotelaria está enraizado. Daí que tenha entretanto adquirido o Hotel Avenida, em Viseu, onde está a levar a cabo “um projecto de expansão e renovação”.

Da sua ligação à hotelaria nasceu a relação estreita com a Associação dos Hotéis de Portugal (hoje Associação da Hotelaria de Portugal), de que foi vice-presidente ao longo de oito anos, mas o associativismo já lhe corria nas veias bem antes desse tempo e os chamamentos têm sido sempre muitos e diversos, desde que, entre outras entidades, integrou a ANJE – Associação de Jovens Empresários.

Da sua actividade na área da restauração nasce a ligação à AHRESP e o seu interesse pelo associativismo a nível local e regional despoleta a ligação à organização regional do turismo, agora por via da região Centro. Mas a ligação aos organismos regionais de turismo vem dos tempos da antiga Região de Turismo de Dão Lafões, onde integrou a direcção e da RT do Centro, de que foi vice-presidente da RT do Centro. Por esta última via integra a comissão instaladora da Turismo do Centro, ERT e da ARPT do Centro onde hoje desempenha funções que tomam parte considerável do seu tempo.

Jorge Loureiro faz questão de sublinhar que todos estes têm sido “sempre cargos não remunerados, sempre pro bono”, o que, assegura, “é para mim uma condição de vida e uma regra de outro que pretendo manter” para conseguir “ter liberdade e independência” nas suas intervenções.

Apesar dos muitos afazeres enquanto empresário com interesses em vários sectores de actividade, é à área associativa regional que dedica a maior parte dos dias e das 24 horas de cada dia. Como empresário e na vida associativa assume que “ainda me falta fazer tudo”, o que significa que “quero fazer muito mais”. Mas sempre com outra máxima que tem preconizado ao longo dos tempos que é a não se eternizar nos cargos. “Gosto muito de fazer as coisas e depois sair, por isso sou entusiasta da renovação e limitação de mandatos”, diz-nos, assegurando que, uma vida tão cheia pode até cansar um pouco mas “compensa do ponto de vista das relações humanas que são criadas com milhares e milhares de pessoas”.