Salão do Imobiliário e do Turismo Português é agora InPortugal

InPortugal é o novo nome do Salão do Imobiliário e do Turismo Português em Paris, que terá a sua nona edição entre 14 e 17 de Maio de 2020, e se apresenta com ambição e dinamismo renovados.

A decorrer no Parque de Exposições da Porte de Versailles, em Paris, o InPortugal apresenta-se como “o maior evento de promoção de Portugal na Europa”. É uma evolução natural do anterior certame, que “acompanha as tendências do mercado e consolida a aposta no mercado francófono”.

O InPortugal é um salão internacional exclusivamente português, criado em 2012, direccionado ao público francófono que quer residir, investir, empreender, estudar ou visitar Portugal. Este público está no topo da lista de compradores de bens imobiliários, com um valor estimado das aquisições superior a 671 milhões de euros em 2018.

Na sua evolução, o InPortugal pretende atrair novos expositores, que vão além da área imobiliária, captando novos investimentos e promovendo diferentes ecossistemas do tecido empresarial português. A estratégia passa por mostrar Portugal no seu todo, sublinhando as suas particularidades e alargando o lote de expositores a mais regiões do país.

“A descentralização do investimento é há muito um dos nossos grandes objectivos. Queremos dar às regiões condições para que possam mostrar o seu enorme potencial e desenvolver a sua marca num contexto europeu”, afirma Ricardo Simões, director do InPortugal, que adianta que para 2020 quer “quadruplicar o número de câmaras municipais, organismo regionais e comunicadas intermunicipais presentes no salão”.

A nona edição do InPortugal vai contar com três dais e meio de exposição, para um público B2C e B2B. Espera receber 12.000 visitantes, numa área de 5.000m² e contará com a presença de cerca de 200 expositores. Terá um programa composto por 40 conferências e apresentações, com temas que vão do investimento às novas tendências do imobiliário, passando também por outros sectores como o turismo.

O InPortugal tem como parceiros estratégicos a Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa e a Fundação AIP.