SET quer incluir indicadores que valorizem os recursos humanos no sistema de classificação dos hotéis

“Vamos encontrar soluções para dar cada vez mais valor aos recursos humanos, reconhecendo que o serviço depende a 100% dos trabalhadores”, afirmou a secretária de Estado do Turismo, esta quarta-feira, em Lisboa, na abertura do XII Congresso da ADHP, para acrescentar que “os recursos humanos são a chave para aumentar o valor da oferta”.

Ana Mendes Godinho lembrou que o turismo “é feito por pessoas” e que “hoje 8,2% da população activa está dedicada ao turismo”, o que levou o Governo a apresentar, no início desta semana, uma nova estratégia para as escolas de hotelaria e turismo do Turismo de Portugal, dando-lhes mais energia, novo rumo e projectos concretos para evoluírem não só ao nível de novos cursos e novas áreas, mas por forma a preparar os alunos para aquilo que o mercado precisa e está à procura. A governante disse ainda que este é o ano com a maior procura de sempre pelas escolas de hotelaria e turismo “o que quer dizer que há cada vez mais pessoas com vontade de ir para a área do turismo, de trabalhar no turismo”.

Neste sentido e como “é cada vez mais é preciso valorizar as pessoas que trabalham no turismo, lancei o repto à ADHP de que nos ajudasse a encontrar uma forma de incluirmos no sistema de classificação dos hotéis indicadores que valorizem os recursos humanos e o serviço”.

Segundo Ana Mendes Godinho, “não acredito numa lei que imponha determinados requisitos de obrigações de profissões para classificação dos hotéis, mas acredito num sistema de classificação que valoriza as pessoas que trabalham nos hotéis como indicador para valorizar a própria unidade numa lógica do sistema de pontos”.