SET quer melhorar linhas de financiamento

O objectivo, segundo avança Rita Marques, é que os empresários possam fazer os seus investimentos em turismo de “forma mais certeira e mais consequente”.

Já nos congressos da APAVT e da AHP, a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, tinha citado o financiamento ao sector como uma das prioridades para esta legislatura. Agora, ao falar no passado sábado em São João da Pesqueira, no evento de comemoração do 18.º aniversário da classificação do Alto Douro Vinhateiro (ADV) pela UNESCO, a governante comprometeu-se “a melhorar” as linhas de financiamento para sejam mais “eficientes” e “alavanca” de investimento quer nacional e estrangeiro, cita a agência Lusa.

Rita Marques, que sublinhou mesmo ser este “o primeiro compromisso que assumo enquanto tutelar desta pasta”, deixou clara a necessidade de “melhorar as nossas linhas de financiamento, de modo a garantir que o empresário, seja local ou estrangeiro, mas que tenha interesses sobre a região, possa investir de uma forma mais certeira e mais consequente de modo a criar aqui uma oferta em rede”.

A secretária de Estado do Turismo avançou ainda que desde 2015, foram aprovados 59 projectos na área do turismo, na área do Alto Douro Vinhateiro, num total de inventivo de 36 milhões de euros. “Mas a verdade é que, quando analisamos as taxas de execução destes projectos, muitos deles acabaram ou por não serem iniciados ou não ser terminados, que nos leva de facto a crer que nem sempre, enfim, os recursos financeiros são a condição ‘sine qua non’ para que isto resulte”.

Sublinhou ainda o facto de o Alto Douro Vinhateiro apenas concentrar 4,3% do total de dormidas da região Porto e Norte de Portugal, pelo que, expressou, é preciso “fazer mais e melhor”, até pelo facto de esta região proporcionar um “turismo diferente, um turismo que não é de massas, um turismo de qualidade que cruze a cultura, os saberes, os produtos endógenos”.

A propósito referiu a necessidade de melhorar as acessibilidades, nomeadamente com Espanha, e de apostar no segmento de eventos para combater a sazonalidade.