Solférias potencia hotéis da Oásis Atlântico e seguros da SGS

A última paragem do Roadshow Solférias, Oásis Atlântico e SGS Seguros decorreu a 5 de Março em Lisboa, data em que o operador turístico “aproveita uma parceria de longa data com a Oásis Atlântico e SGS para potenciar os seus hotéis e seguros” junto dos agentes de viagens, segundo Paulo Almeida, director comercial da Solférias.

As duas empresas são “parceiros de muitos anos, com os quais temos uma forte ligação”, demonstrada no Roadshow que percorreu quatro cidades portuguesas. Os eventos em Braga, Porto, Coimbra e Lisboa reuniram mais de 300 agentes de viagens, a quem a Solférias deu “a conhecer melhor os hotéis da Oásis Atlântico Hotels & Resorts e os seguros da SGS, porque a nossa programação as pessoas já vão conhecendo”, assegura Paulo Almeida.

Bruno Solas, Sales Manager Oásis Atlântico Hotels & Resorts, afirmava que “junto dos agentes de viagens, queremos passar a mensagem de que também já estamos em Saidia”, em Marrocos. O Roadshow que percorreu Portugal entre 2 e 5 de Março serviu para promover “a Oásis Atlântico junto da Solférias, que é um dos nossos maiores parceiros em Portugal”, mas também o destino Saidia, que “não é só sol e praia”.

O resort em Saidia, com duas unidades de 5 estrelas, com 600 quartos no total, foi inaugurado em 2019, realizando a sua primeira temporada entre Junho e Novembro do ano passado. “A nossa ambição é, no espaço de um ano, ter o hotel aberto todo o ano”, assevera Bruno Solas. De momento, Saidia é encarado somente como um destino de Verão, percepção que o responsável quer ver alterada.

Para combater a sazonalidade, será feita uma aposta em “captar grupos que façam incentivos, e também pelo golfe”, bem como na promoção de Saidia como ponto de partida para a descoberta do Sahara. Os 5 estrelas Oásis Saidia Palace Beach & Spa e Oásis Blue Pearl Beach & Spa enquadram-se num resort de 14 hectares, junto à baía, rodeados por campos de golfe.

A eleição do destino Saidia surgiu porque o grupo hoteleiro “viu potencial de um novo destino, a uma hora de voo de distância de Portugal”. O objectivo é desenvolver o turismo nesta região, como o fizeram em Cabo Verde, há mais de 20 anos. “Quando chegámos a Cabo Verde era um destino sem nada e o impacto quando chegámos a Saidia foi o mesmo”, afirma Bruno Solas.

Assim, “vamos trabalhar para que um dia mais tarde Saidia esteja também colocada no mercado turístico a nível europeu”, após Cabo Verde se ter tornado “um destino de eleição na Europa”, assegura. Acrescenta que “estamos a aliciar os parceiros que já trabalham connosco em Cabo Verde”, comentando a semelhança entre os destinos, na medida em que ambos ostentam uma linha de praia de areia dourada com 8Km de extensão.