TAP aliena participação nas lojas francas

A TAP informou que está em negociações com a Vinci Airports, empresa que detém a ANA, para a venda dos 51% que detém nas Lojas Francas de Portugal. O negócio tem que ser validado pela Autoridade da Concorrência.

Uma vez que a concessão, por parte da ANA Aeroportos de Portugal, das licenças da Lojas Francas de Portugal poderá ser rescindida em 2017, a TAP, a Vinci Airports (empresa detentora da ANA) e a Dufry alcançaram um acordo para a realização de um negócio que envolve a venda da LFP. No caso, a TAP irá vender à Vinci a sua posição accionista de 51% na LFP, enquanto a Dufry manterá a sua participação de 49%.

O acordo foi anunciado esta segunda-feira pela TAP em nota que explica que o acordo é favorável aos negócios e aos trabalhadores da LFP, empresa com a qual irá manter relações comerciais.

O presente acordo reforça os negócios da LFP e protege os seus interesses, bem como o dos seus trabalhadores. A LFP vai prosseguir a sua relação comercial com a TAP.

“A concretização das negociações está sujeita a, entre outros, um processo de due diligence que agora se abre, e à aprovação por parte das autoridades da concorrência. A conclusão do negócio deverá estar fechada durante o primeiro trimestre de 2017”, lê-se na nota informativa enviada pela TAP.

A LFP está presente em cinco aeroportos (Lisboa, Porto, Faro, Madeira e Açores), com 29 lojas e também serve o programa de vendas a bordo da TAP.