TAP vence concurso do maior programa europeu de investigação e inovação em aeronáutica

Nos próximos quatro anos, a Manutenção & Engenharia da TAP vai liderar o projecto do programa de fundos europeus Horizonte 2020 ligado à manutenção aeronáutica.
A TAP anunciou ontem que vai integrar o Clean Sky 2 (CS2), o maior programa europeu de investigação em aeronáutica, inserido no programa de fundos europeus para a investigação e inovação Horizonte 2020, depois de a proposta que a empresa submeteu à Comissão Europeia se ter sagrado vencedora entre as várias propostas concorrentes. A equipa da TAP irá assim coordenar um consórcio de Associativismo instituições, entre empresas, universidades e institutos de investigação, e terá de gerir um orçamento de cerca de 6 milhões de euros.
Segundo informa a companhia, o projecto liderado pela TAP tem dois objectivos fundamentais: “desenvolver metodologias de vigilância da condição de sistemas e componentes críticos das aeronaves para prever necessidades de manutenção antes da ocorrência de falhas (manutenção preditiva) e viabilizar a introdução em larga escala de dispositivos móveis e aplicações inovadoras, de apoio à execução de manutenção, de uma forma integrada entre MROs (organizações de Manutenção), companhias aéreas e fabricantes”.
Através da sua integração no CS2, a TAP terá acesso privilegiado a toda a informação gerada dentro da secção do programa em que se encontra – Large Aircraft IADP Platform 3 “Next Generation Aircraft Systems, Cockpit and Avionics” – onde, para além das questões ligadas à manutenção aeronáutica, serão estudados temas como “operações de voo optimizadas”, “desenvolvimento de tecnologias de aviónicos” e “cockpit de próxima geração”.
Além da TAP o consórcio integra mais duas empresas portuguesas, a TEKEVER e o ISQ.
M.F.