Thomas Cook diz que Brexit não tem impacto no turismo mas terrorismo sim

O director-geral da Thomas Cook para o Reino Unido, Chris Mottershead assegura que o resultado do referendo sobre o Brexit não teve impacto nas reservas, mas os ataques terroristas dos últimos tempos “transformaram a indústria turística”.

Mottershead insiste que as reservas mantêm-se fortes para a próxima temporada, acrescentando que “vemos uma procura superior à nossa oferta”. Considera que o impacto sobre o valor da libra não deverá sentir-se ainda.

Os gigantes TUI e a Thomas Cook mostram força para o Inverno no Reino Unido, tendo registado aumentos significativos nas reservas no Reino Unido para esta temporada, que oscilam entre os 22% e os 8%, respectivamente. A TUI assegura que as vendas estão acima do ano passado em todos os principais mercados e garante que a libra tem experimentado momentos de maior fraqueza em relação ao euro, como aconteceu por exemplo no Verão de 2015, pelo que considera que o sector pode lidar com este problema.O gerente da Thomas Cook acredita que “o cliente tem um orçamento e este determina o que as pessoas compram, podendo tomar um avião para um destino mais próximo ou escolher um hotel de quatro estrelas em vez de um de cinco estrelas”, além do que há uma variedade de opções disponíveis compreendidas entre os dois extremos, a reserva só de alojamento e pequeno-almoço e o ultra tudo incluído.

Sem dúvida, para o director geral da Thomas Cook, foram os ataques terroristas dos últimos 16 ou 17 meses e a situação na Turquia que causaram grandes mudanças no sector do turismo. “AS empresas não sabem quando terminam e estamos à procura do melhor caminho para conduzir os nossos negócios”, para recordar que a empresa que lidera mantém-se em alerta e em contínua mudança.